TEXTOS O MAR

 

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de Propiedad Intelectual de  España  Junio de 2.021 nº 42

La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras
AL SERVICIO DE LA PAZ Y LA CULTURA HISPANO LUSA

 

 

ESTAMOS A MATAR O MAR
Um Apontamento de Eugénio de Sá
Portugal

Recentemente, a revista científica ‘Science’ propagou um panorama dos impactos provocados pela acção resultante da intervenção humana nos oceanos e mares de todo o mundo. O estudo, que deu origem aos dados da divulgação, foi realizado por um grupo de cientistas da Universidade da Califórnia. A partir dessa pesquisa foi constatado que 41% de toda área marinha já sofreu importantes impactos.

Por outro lado, o aquecimento global está já a causar grandes transformações nas correntes oceânicas com o seu cortejo de efeitos nefastos no equilíbrio meteorológico do planeta e a fazer subir o nílvel dos mares, o que irá provocar também o desaparecimento de muitas espécies marinhas e agravar ainda mais o resultado da super exploração do pescado, que não permite sequer a renovação adequada das espécies.

Segundo o Ocean Sciences Meeting 2020, nos próximos 20 anos, cerca de 90% dos recifes de coral podem desaparecer no mundo devido ao aquecimento da água dos oceanos, e da sua crescente poluição e acidez.

O crescente degelo das calotes polares, que já é uma importante realidade, fruto de todos os impactos negativos que ali se vêm registando, está a afectar os animais que vivem nas regiões até aí congeladas, e que sofrem as consequências do aquecimento global. Entre os demais, avultam os ursos polares, os pinguins, as orcas e a baleias brancas.

Por outro lado, os constantes derrames de petróleo, muitos deles com origem no desleixo de quem comanda os grandes petroleiros, também afectam as aves marinhas, que ao entrarem na água do mar para capturar as suas presas, ficam impregnadas dos residuos dos óleos pesados – que irresponsavelemente são derramados após a lavagem dos depósitos –  e não conseguem voar novamente, vindo a agonizar, e por fim a morrer em grande sofrimento. A continuidade da utilização de plásticos e os seus respectivos desperdícios irresponsavelmente lançados ao mar por todo o mundo, que se prevê que aumente 40% nos próximos anos, fazem com que se estime que em 2050 o volume do lixo oceânico acumulado seja superior ao do peixe em todos os mares e oceanos do planeta.

A todos os descritos problemas ambientais relacionados com o ambiente marinho, soma-se o derramamento de esgotos domésticos e industriais que ocorre em muitos países que ainda não resolveram este problema. Esse material desencadeia a proliferação de algas que produzem toxinas, e o excesso dessas algas é responsável maior por uma diminuição do oxigénio da água, colocando em risco a subsistência de várias espécies de peixes e moluscos, mormente os que vivem nos estuários.

O mar será mesmo eterno?!…
Por: Albertino Galvão 

Lembrei-me de uma antiga canção portuguesa, “Oh mar eterno”, para dar título a este trabalho sobre o mar.
O mares será mesmo eterno?!…
Convém salientar que quando nos referimos ao mar fazemo-lo no geral, apesar das diferenças conhecidas
entre mar e oceano. Os oceanos são extensos, abertos e profundos e os mares menores e menos profundos,
mas o que importa é o papel fundamental que têm na uniformização e equilíbrio dos ecossistemas, exercendo
controle sobre as condições meteorológicas, para além da enorme importância econômica, política e
sociocultural.
A importância do mar já vem desde os tempos do homem primitivo que descobriu nele uma rica fonte de 
alimento e, mais tarde, como viajar através dele, fosse na procura de melhores locais de pesca como de 
locais com mais recursos para viver. 
Nas costas das Ilhas Britânicas, da Península Ibérica e do Próximo Oriente, arqueólogos descobriram, por
exemplo, vestígios de embarcações datados do século XIV AC . Os Romanos serviram-se do mar e da sua
enorme frota armada para expansão e enriquecimento do seu Império. 

Para nós, portugueses, o mar faz parte do nosso passado, da nossa história! Com Bartolomeu Dias e o terrível 
“Cabo das tormentas», Vasco da Gama, Diogo Cão e outros navegadores como Magalhães, Colombo, Cabral, 
novas descobertas e novas rotas levaram-nos do Atlântico ao índico e daí ao Pacífico. 

Todos os seres vivos do planeta dependem do mar, embora o ser humano se esqueça, estupidamente e com
muita frequência, de tudo isso. Sem incluir a microfauna, (impossível estimá-la), dados científicos calculam a biodiversidade marinha em cerca de 80% dos seres vivos do planeta. 

Mares e oceanos, para além de nos darem muita da proteína que consumimos, também se extraem deles
minerais essenciais como o magnésio e o sal, entre outros, não esquecendo que algas marinhas produzem
cerca de 55% do oxigênio do planeta, da utilidade de muitos organismos marinhos na indústria farmacêutica
como, por exemplo, a esponja do mar, ou do papel fundamental do mar no comércio internacional, em especial
no transporte de recursos naturais como minérios de todo o tipo, equipamentos industriais, petróleo, gaz natural
e muitas outras matérias primas de primordial importância para o desenvolvimento e sustentabilidade de muitas nações. É o factor globalização!

Grande parte do CO2 que continuamos a emitir, é absorvido pelos oceanos, tornando as suas águas cada vez
mais ácidas contaminando, assim, toda a vida existente neles. Segundo estudos, muitas das grandes espécies marinhas e barreiras de coral já desapareceram e muitas mais desaparecerão se continuarmos a poluir, desenfreadamente, os oceanos com milhões de toneladas de plástico, petróleo e lixo de todo tipo e se a pesca industrial excessiva e sem regras não for definitivamente controlada. Com o aquecimento global do planeta e, consequentemente, dos oceanos e mares, ao homem restam apenas duas alternativas:
Tentar a salvação mudando, rapidamente, a sua forma de pensar e agir ou… morrer! 

Os oceanos e mares representam mais de 70% da superfície terrestre, e concentram 97% da água do planeta,
mas poderão, efetivamente, não ser eternos! Se os continuarmos a matar morreremos com eles!  

Pensemos nisso! 

IMENSO MAR
Por: Cema Raizer

Ao  escrever, percorro os caminhos da mente, numa doce aventura que traz bons momentos e lembranças, e desaguam a inspiração…
Nada mais me distrai! Um solitário pensamento me faz percorrer caminhos de amor, de vidas e de poesia…
Algo surpreendente que me leva,  desde à bucólocos recantos, até a imensidão do mar…  Meu caminhar pela areia,  deixa pegadas, e sigo uma inspiração que me seduz!
Sonhos, alegria e encantamento acontecem no trajeto!
Vida de poeta é bem assim! O pensamento voa… e até caminha, para percorrer um fantástico mundo que recria através da inspiração!
Os versos registram sinais…
Sonhos, inquietos, verdades… desejos e luz!
Definitivamente, Poeta é sonhador, registra o que sente, alimentando a inspiração! A vida de poeta anda nesse chão, repleta de verdades, e se surpreende somando tudo!  Caminho simples, onde a brisa é perfumada, as noites são cheias de estrelas…  luares, montanhas e mares, refletindo a poesia que vem da alma a mostrar presença!
E assim, nasce um poema, alegre ou nostágico
Aventura de poetizar é encantada e a inspiração salta magicamente para a realidade, explode em versos, preenche vazios, mudando os caminhos, que agigantam ainda mais a inspiração!
Sonhar, é buscar sempre o melhor verso  para engrandecer a poesia
Na caminhada da memória,vontade de poeta, busca o melhor verso, pois a imensidão do mar não cansa a sua maneira de criar…
Um eterno viajante, nos sonhos, onde busca sempre o verso mais bonito.
Sua jornada poética, é dedicada ao Mar, pelo qual tem  eterna a gratidão!

Deja un comentario