POEMAS EN PORTUGUÉS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a 
la ley de propiedad intelectual de España

Mayo   2.019  nº 19

La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas
por sus autores.
Estos conservan el copyright de sus obras 

TAL VEZ…
O último Poema
Eugénio de Sá

Foi no mar que tudo começou;
A mão que pedia para escrever,
os olhos, cheios de brumas,
que me ditavam os versos

e os vertiam na alma,
os cheiros da maresia
e de peixe acabado de pescar,
e o embalo da mansa perturbação da água

pela brisa do norte, chegada em murmúrios.
Foi neste mar de Portugal,
ao largo das alcantiladas penedias da Roca,
onde a terra penetra fundo no Atlântico,

que me senti, pela primeira vez, Poeta!
Não, porque as letras que ía desenhando
convergissem numa rima obrigatória,
mas porque a lógica deu lugar ao sonho

porque senti emergir a doçura,
da contumaz razão analítica,
porque não lia na minha escrita
nada que não fosse amor, beleza, perdão.
A cadência da larga ondulação

como que… por magia
afagava em mim as vivas arestas das memórias
deixando-as suaves, castas, redentoras.
Hoje voltei ao mar.

Andei… largas horas à deriva,
tal como me habituei a deixar que a pena
lavre os pensamentos, sem rumo definido.
Falei-vos… no presente (?) – Estranho !

– porque hoje havia decidido
falar-vos de poesia…no passado.
Não sei se o vou conseguir, ou se é mais uma
das utopias desta mão já cansada,

deste espírito que se vai, aos poucos,
desapossando da metáfora,
provavelmente pela crua realidade
das desilusões colhidas.

Hoje havia decidido escrever, queridos leitores,
sem complicados artifícios, sem códigos
…um último poema.
E para quê rimar, se vocês entenderam?

– Se não puder ter ambos,
entre a poesia e o mar… talvez fique com o mar
e a vossa recordação,
que guardarei neste velho coração.

OUTUBRO ROSA
Marcelo de Oliveira Souza
(Brasil)

As rosas vão sendo apertadas 
Elas vão desfalecendo… 
As pétalas caindo, 
Umas dão o retorno 

Com uma espetada, 
Não podem ser maltratadas! 
Outras rosas são apertadas 
Apalpadas e cuidadas 

São tão singelas quanto… 
Ainda mais amadas 
E cuidadas, mesmo na pressão ! 
Com as mãos espalmadas 

Elas procuram atenção 
De um lado e do outro 
As rosas são atendidas 
Muitas saudáveis outras feridas…
 
Mas nunca são atingidas 
Pela foice maldita 
Quando para o autoexame 
For dirigida. 

FALANDO DE MULHER

Luiz Poeta – Luiz Gilberto de Barros

Como é difícil falar deste ser maravilhoso
sublime, misterioso,  denominado mulher…
Como é difícil calar um verso impetuoso,
de um poeta habilidoso que no fundo sempre a quer…

Meu Deus, como é complicado riscar um verso discreto
que fale esse dialeto dos homens, pobres mortais,
um verso bem  inspirado que  diga o que a gente sente,
por elas… que incompetentes que somos, que animais!

A mulher é tão completa, sonhadora… realista…
Que nós, os especialistas, delas não sabemos nada,
E não basta ser poeta, ser homem ou ser amante
deste ser apaixonante, desta musa tão amada…

Para entender cada gesto ou ímpeto ou devaneio…
Quem não precisa de um seio para se tornar menino?
Somos seres tão modestos diante desses monumentos
Nunca estamos desatentos ao talento  feminino.

A mulher é tão divina e o homem é tão carente…
Meu Deus, como é atraente falar de uma mulher:
Inteligente, sensível, talentosa, companheira,
Eu daria a vida inteira para tê-la… quem não quer?

Mas tê-la inteiramente: no espírito, em pensamento…
Em todo e qualquer momento e… na cama, por que não?
Afinal, o coração de um homem só é completo
Quando este ser predileto habita seu coração.

POR TI, MEU LÁBIO SANGRA
Ary Franco (O Poeta Descalço)

Na incontida volúpia de nossos beijos trocados
Mordeste minha boca com erótica sofreguidão.
No ritmo de teus ais, saciamos desejos alienados.
Sangra-me o lábio, pulsa-me mais forte o coração.

“Besame mucho” ao fundo, mais nos estimulava.
No ardor de nosso sexo selvagem, eu te sufocava.
Cingida em meus braços, arfavas assaz satisfeita,
Cúmplice de nossa mútua entrega total e perfeita.

Enfim, abres os olhos e sorris dengosa para mim.
Tanto queria eu que esta noite jamais tivesse fim,
Mas o inclemente sol já se faz imiscuir no horizonte
E arrefece nossa doce loucura agora agonizante.

Preocupada e carinhosa, acaricias-me a boca ferida.
E, sob o lençol que agora nos cobre, pedes-me perdão.
Desejo que o faças muitas vezes mais, minha querida.
Mostras a quanto vai o gozo manifesto de tua paixão!

FANTASIAS
Odir Milanês da Cunha

De fantasia era pra ser o mundo,
com matizes totais nele dispersos,
escorrendo do córrego profundo
de onde, caudalosos, fluem versos.

O sol seria um sólio vagabundo
levando a lua a campos abstersos:
o mar, sendo das nuvens oriundo,
traria à tona deuses submersos.

Os vendavais seriam como a brisa,
os dias passariam mais pausados
e das noites seriam sem divisa.

Não haveria amores mal amados.
Talvez indícios de paixões, à guisa
dos poetas pra sempre apaixonados!

OS SENTIMIENTO
Gabriela Pais (Portugal

Os sentimentos tem altos e baixos,
paixões carregadas e desapegos,
desgostos e alegrias estão afixos,
aptidão de sentir, dar aconchegos.

Sensações são como águas do mar,
umas serenas sem lamentações
ou revoltas sem se poder domar,
emotivo apaziguar de emoções.

Há dias de sol, chuva e tempestade,
gente que graceja algumas que choram,
a vida ondula com velocidade,
eis tempo e amor que males evaporam.

Sentir sem superar sonhos melhora,
perceber outros não só por metade,
encontrar o horizonte que acalora,
chegar e dar ao amor nossa vontade.

ACENO DA ILUSÂO
Carolina Ramos (Brasil)
                                        
Se a vida é uma ilusão, também a alvura
do amanhecer que aponta com luz mansa,
rasgando as vestes de uma noite escura,
é uma ilusão vestida de esperança!

A aurora rosicler no astral perdura
por tempo breve de ilusória dança,
a alternar róseos véus de seda pura,
enquanto o mago sol no céu avança!

Amo a Ilusão! O Amor! O Sonho! o Belo!
E se o mundo se empenha em que tristonho
se torne o meu viver, eu me rebelo!

Do aceno da quimera não me esquivo!
 Sei que me iludo porque ainda sonho,
mas, porque sonho é que eu ainda vivo!

PROCURO-TE NO SILÊNCIO
Carlos Rodríguez (UEA)
 
Procuro-te no silêncio de meu lençol
quando cai a noite
quero romper a beijos teu corpo
entre gemidos de fogo
quero te amar

e estremeces minha insónia
com brutais paixões
encontraremos rincões ingnorados
refaremos o amor
e sentiremos o mais profundo do alma
quero amar-te esta noite…

OU TU, ÉS EU
Cecília Maria Rodrigues de Souza

Antes, era tudo tão belo, tão diferente,
Eu não convivia com a tristeza,
Nem sentia nostalgia ao sonhar.
Amei-te, foi só!
Um amor desejado, imenso, fugaz,
Que nasceu de repente com um olhar,
Viveu horas de alegria, sonho, fantasia,
Mas foi marcado pela saudade,
Por começar a viver
Em um dia de partida.

De tudo, restaram as lembranças
Que me impulsionam a te procurar,
Mesmo sem saber
O que fazer para te achar!

Sei que estais em mim,
Nos meus olhos, no meu sorriso,
Nas minhas lágrimas,
Na minha mente, no meu ser,
Em tudo que é meu,
Sou tu, és eu!

Tantos anos vividos e nada mudou!
Continuo sem entender, por que o destino
Insiste em nos separar, se já imortalizou
A nossa historia de amor.

ESTRANHOS NO PARNASO
Thalma Tavares

Foi ao findar-se a memorável noite,
quando do sol já se escondia a lua
e a aurora punha lampejos em nossas taças vazias, 
que eles chegaram temerosos 
perguntando-me quem eras, que poderes possuías 
que me trazias recluso em teu palácio
e prendias ao teu chão meus pés andejos?…
Quem eras tu, afinal, que em tua honra
tantas taças se erguiam
e a quem tantos como eu erguiam lumes?

E eu não lhes disse que tu eras filho do infinito
nem que nasceras de um luminoso parto sideral, 
nem que eras um semideus de espumas e quimeras
recém-chegado do mais longe da saudade.

Eu não lhes disse que teu verbo era sol
dourando o impreciso
no indeciso côncavo do ocaso,
nem que eras um lapidário de harmonias
que cinzelava cânticos e prantos, 
musas no cio e sóis incandescentes.

Não lhes disse também que eu andava seduzido
pela beleza das musas que esculpias
ao som de tua cítara divina
nem que eras menestrel do inexprimível
com um recado de amor em cada verso,
ora tocando uma viola ardente,
ora acrescendo uma lágrima urgente
às dores do universo.

Não lhes disse de como te parecias ao Cristo
quando abrias no espaço os grandes braços,
nem de como te fazias menino
cavalgando o horizonte na linha de um quadrado.

Não lhes disse que eras um sismo de montanhas,
um bramir de oceanos e um sussurro de Deus…

Disse-lhes que tu eras um poeta, tão somente…
Eles sorriram aliviados e partiram indiferentes.

SQUECEU?
Cema Raizer

Não fui eu quem esqueceu…
Não fui eu quem ficou no passado
Nem você  previu o Futuro…
Estamos no presente agora

Mas existe o tom da ausência
As cores desgastadas…
Temos que mostrar
As cores vivas

Para dar mais valor ao futuro
Nem parece que o ontem já foi…
E nem sabemos do amanhã!
A vida precisa de ritmo…

Seguir em frente agora e depois
Nossas memórias ficam?
Serão lembradas ou esquecidas?
Não podemos perder tempo

no caminho do futuro…
Nosso afeto e carinho
Para quem jamais esquece
Que o valor de um Poema
Começa com o poeta

POR QUE TE AMAR TANTO
Nena Sarti

Por que te amar tanto solitariamente?
Qual empecilho do mundo que
Não permite me aproximar?
Ouço-te nitidamente a me chamar

No sussurrar das copas,
No mover das águas,
No cantar das manhãs,
No acalanto da noite.

Solitariamente
Quero-te por inteiro.
De ti quero muito, muito mais.
Mostre-me o impedimento.

Arranque minhas amarras.
Dê ordem aos seus anjos
Para que toquem em meus lábios
As brasas que aquecem canções.

Teu silêncio me arrasa
E faz aumentar meu pranto.
Por que tenho que te amar
Taticamente, lentamente,

Lamentavelmente oculta?
Até quando ficarei na antecâmara
Limpando-me, perfumando-me,
A espera do teu chamado?

Meu anseio queima meu seio,
Derrama e inflama o coração.
Por que tenho que te amar tanto?
Em que frincha do passado

Deixei algum pecado guardado
Que ainda terei que pagar em silêncio?
Meu amado, não quero sofrer assim,
Libere do trono um Querubim,

Para que o mundo
Veja-te em mim.

5 comentarios en “POEMAS EN PORTUGUÉS”

  1. Os poemas que aqui li, são de altos gabaritos. poetas de grande potencial na escrita.
    Não citarei nomes, mas alguns meus «velhos» conhecidos, e todos merecedores
    dos maiores elogios.
    Voltarei em outros momentos para mais uma lida prazerosa dos belos poemas
    ainda não lidos.
    Parabéns… Aristos internacional, parabéns a todos os poetas participantes.
    Beijos
    YNA

    Responder
  2. POEMAS EM PORTUGUES : li todos e, pela diversidade me encantei!
    PARABÉNS AMIGOS!Vou escrever uma frase para autor:
    1 »TALVÉS» : Bom marinheiro nunca ficará sem Mar…ou sem POESIA…
    pois no Homem do Mar, a poesia faz morada!
    2 » OUTUBRO ROSA» : Amo quando um poeta valoriza vidas!!!
    3 «FALANDO DE MULHER» : Além de Poeta, um protetor de vidas!
    4 «POR TI MEU LÁBIO SANGRA»: Uma confissão!
    5 «FANTASIAS»: Sonhos possíveis…
    6 «OS SENTIMENTOS»: Um poema realista!
    7 «POR QUE TE AMAR TANTO : Redenção de uma Esperança!
    7 «OU TU ÉS EU»: Amor que não morreu…
    6 «ESTRANHOS NO PASSADO»: Teu poema é um imenso esplendor!
    8 »
    7 «ACENO DA ILUSÃO» : A ilusão como esperança!
    8 «PROCURO-TE NO SILÊNCIO» : A busca de um amor…

    7

    Responder
  3. Parabéns a todos os participantes que nos brindaram com belas e inspiradas poesias. Meus aplausos pelo primoroso trabalho da ARISTOS INTERNACIONAL.

    Responder
  4. Difícil relatar e agradecer toda a emoção que sente meu coração e minha alma lendo os belos e inspirados poemas que a Aristos nos presenteou. Mais difícil, ainda porque li e relia cada um uma, duas ou mais vezes com a emoção que me causava. Obrigada, Amigos poetas por sensibilizar a minha alma Obrigada, Eugénio, obrigada Luiz Poeta, obrigada Nena Sarti, obrigada Cema Raizer Obrigada meus poetas todos!

    Responder
  5. Parabéns a todos os poetas. Obrigada Iracema, muito originais e precisas, as frases mencionadas a cada poema, gostei. À Aristos Internacional saudações poéticas carinhosas, em agradecimento pelo que nos presenteia. Felicitações pelo esmerado trabalho.

    Responder

Deja un comentario

POEMAS EN PORTUGUÉS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a 
la ley de propiedad intelectual de España

Enero 2.019  nº 15 

La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas
por sus autores.
Estos conservan el copyright de sus obras 

 

COLABORAN: Virginia Branco ( Portugal) …Luiz Gilberto de Barros ( Luiz Poeta Rio de Janeiro-Brasil)…Susana Custodio ( Sintra-Portugal)…Ary Franco ( Brasil) …Profesor Garcia ( Brasil )…José Lissidini Sánchez ( Uruguay )…Amilton Manciel Monteiro (Brasil)…Gabriela Pais ( Portugal ) …Carolina Ramos ( Brasil)…Carlos Rodríguez Sánchez ( Estados Unidos) …Thalma Tavares ( Brasil) 

EU E O OUTRO!
(ALTERIDADE)
Virginia Branco ( Portugal)

 Não quero ser a ponte
onde passa o vaivém.
Não é minha sina.
 Serei Eu ou o Outro
porque esta força germina
indo mais além.

Com o Outro cresço
 e pondero,
falo, modero.
 Escrevo e comunico.
É pelo Outro que calo,
que parto e reparto.
É pelo Outro que fico.
Que me banho em fragâncias,
 encurtando distâncias
 em ciclos de rito.
Sobram atitudes,
que me amparam
 nas vicissitudes.

É o Outro que eu amo,
ou ignoro.
 É o Outro que eu choro…
 É com o Outro que rio.
Ainda sou trave
que estando mais perto,
ouvindo um lamento,
ampara e segura
na hora mais grave
 o Outro, no sofrimento.

Mas sou Eu,
quem cresce por dentro!

O QUE É SER NAMORADO ?
Luiz Poeta ( Brasil )

O que é ser namorado ?
É gritar pra todo mundo
Que a gente está se amando ?
É beijar e olhar de lado
Vendo os outros invejando ?

…ou é andar abraçado, sorrindo,
Se desejando ?

Será que é sonhar acordado ?
Será que é amar em silêncio
Quem nem vive nos olhando ?
… ou é uma troca de olhares
Que grita na alma da gente
Mostrando o que a gente sente
Quando a gente está se amando  ?

Definições variadas
Dizem tanto e dizem nada…
Pra que ficar perguntando ?

O importante é que um dia
Alguém vai chegar de repente
Sentir o que a gente sente
E ver que a gente está gostando

Aí, sim, que alegria !
O  nosso coraçãozinho
Vai bater devagarzinho
Ou vai ser um motorzinho
Dentro da gente gritando.

O TEMPO PASSA
Susana Custódio
Sintra-Portugal

Quando estou só, o tempo passa lentamente…
Os minutos, as horas, os dias! O tempo enfim…
Lentamente vai passando, passando lentamente…

O tempo passa lento por mim…
Quando estou só, terrivelmente só!
Os ponteiros do relógio giram fatigadamente.
No céu sobe tristemente o Sol,

E o tempo passa por mim lentamente!
Quando estamos juntos e oiço o murmurar da tua voz,
O tempo corre rapidamente!
Os ponteiros giram loucamente!

Quando estamos juntos o tempo corre veloz,
O Sol brilha esplendorosamente no céu.
Quando estamos juntos, os dois tão juntos
Como se os dois fossemos um só!

Sonho. O tempo pára! tu és meu!

Acordo. Vem a realidade e sei, quando estamos juntos,
O tempo corre tão rápido! Tão veloz…

Tu vais-te!!!
E, eu? Eu volto a ficar terrivelmente só!!!

PRIMEIRO DE JANEIRO DE 2019
Ary Franco (O Poeta Descalço)

Aqui estou no tão aguardado 2019, finalmente.
O relógio continua no mesmo ritmo, indiferente.
Entrei com o pé direito, como manda a tradição.
Fogos espocados, algazarras, muita vibração…

Pela janela vejo uma bela manhã de terça-feira.
Procuro em vão algo alegre, promissor, diferente.
Nada. O mesmo jardim, com as mesmas roseiras.
Talvez esteja eu muito ansioso, assaz impaciente.

Afinal, inda faltam 364 dias pro Ano Novo acabar.
Vou dar uma chance a ele de algo bom acontecer.
Preciso acreditar em um bom porvir, saber esperar.
Vou ao computador, nenhum e-mail, nada pra ver.

Já fiz minha oração, logo cedinho ao despertar.
Por ora, pura rotina, nada de novo, vou aguardar.
Pra variar, preparei um desjejum bem caprichado.
Pelo menos isso, talvez me deixe mais animado!
Brincadeiras à parte, desta feita falando sério.
Pra que este ano nos seja feliz, não há mistério.
Falta de sorte, mau olhado, nada disso existe.
Faça o certo, seja alegre, nunca sinta-se triste!

VOZ A POESIA
Eugénio de Sá
Portugal

Diz-me poesia, diz-me do que gostas
E do que lês daqueles em quem apostas
Para divulgar ao mundo a tua voz
Faz-nos saber de ti os sentimentos
Não nos limites a ouvir-te os lamentos
Que os teus anseios se façam luz em nós.

» Já que tu queres, poeta, dar-me voz
Ouve o que digo, mas fica entre nós
O que me dói demais, mais me magoa;
A poesia é verdade, é sentimento,
Não é cousa que sirva ou dê sustento
A néscios servidores da torpe loa.

Que esses ditos poetas mais não são
Que sementes ruins, falsa versão
Que nega tudo o que um poeta é;
Um cultor da verdade, do amor,
E da justiça um nobre defensor,
E não capacho de qualquer ralé.

E mais te digo; que tenho vergonha
De a mim se agarrarem qual peçonha
Alguns falsos escribas da razão
Mas tal como uma clava em retrocesso
Vão acabar mostrando o seu avesso
Perdidos no embuste da expressão. «

SEXTILHAS
Profesor Garcia ( Brasil )

Prantos, mágoas, nostalgias,
São lamentos dos sozinhos…
Gosto de viver cantando
feliz como os passarinhos,
que são felizes nos campos
e são poetas nos ninhos!

Como é lindo este nosso caminhar,
de mãos dadas, feliz, estrada afora…
Pondo pingos de orvalho em cada flor,
pondo gotas de luz em cada aurora;
redobrando a alegria de quem canta,
consolando a tristeza de quem chora!

SONHO DE PAZ
José Lissidini Sánchez
Minas-Uruguay 2015

Quisera ver o mundo em paz, um dia
E vê-lo em paz no dia seguinte.
A mente sabe e a alma se ressente
C’o mundo em confusão, não em harmonia.

Certamente, muito me alegraria,
Ainda que me achem iludido, inocente,
Calar ecos de guerra em toda a frente,
Penso – haveria esperança, todavia – .

Do homem, a paz é o sonho eterno
Mas as lutas marcam a nossa história,
Das mães e filhos, é pranto terno.

Perdurará gravado na memória
Das nações que propaguem o inferno,
Concebendo que ali nunca haverá glória.

SERVIDOR
Amilton Manciel Monteiro

Brasil

São as rimas que ditam meus poemas;
quem manda em meu sentir é sempre o amor…
O coração resolve os meus dilemas,
e o meu cantar persegue a minha dor…

Meus gostos estão presos em algemas;
e a minha opinião não ouso expor…
Espero que resolvam meus problemas,
tal qual age na guerra um desertor!…

Assim, meus versos nunca foram meus;
são dos que mandam em mim, porque meu Deus,
além de Pai, é meu consolador…

Em termos de poesia não sou nada;
além de pobre alma apaixonada,
sou só, do alheio estro, servidor!

A ALEGRIA
Gabriela Pais
( Portugal

A alegria, brilhante estrela da alma,
seca lágrimas teimosas, leva à calma,
um desabrochar saltitante
nova aurora esfusiante,
sensação de prazer em sorrir,
transmitir a outros, novo dia a florir,
uma chamada à vida, ao amor,
um segredo por definir, o humor.

Pontinhos cintilam no firmamento,
lançam focos de contentamento
e como perfume de rosas,
são entornadas gotas cheirosas,
em benquerenças felizes,
um jardim de cores matizes,
alegria, um oásis abundante,
alento da vida, com sol radiante.

Conselhos de Mãe
Carolina Ramos

Meu filho, a vida é dura e fere… e nos magoa…
mas trata-a  com respeito e guarda a dignidade.
Ainda que a alma inteira sem clemência doa,
não permitas que o mal altere o que é verdade!

Sonha bem alto e segue o voo do teu sonho,
sem pressa de alcançá-lo e tendo-o sempre à vista!
Cada dia que passa é um dia mais risonho,
quando o amanhã promete as glórias da conquista!

“Segura a mão de Deus!” Segue o rumo sem medo.
Os caminhos, verás, se abrirão à medida
que  teu passo provar firmeza e, sem segredo,
revelar o sentido e o  Ideal da tua vida!

Não temas opressões nem quedas. Persevera!
Se achares que ao final o saldo não convence,
reage, continua… a vida tens à espera!
Confia em teu valor! Trabalha! Luta! E vence!

OLHO O PASSADO
Carlos Rodríguez Sánchez
( USA)

Olho o passado
que tem ficado atrás
nos cristais lloviznaba
o quebradizo outono
passeava por meu povo
tua calada presença
não conseguiu apagar sua ausência
escalofríos chegavam a meu corpo
instantes infinitos
ficaram ardendo na fogueira
lembranças absolutas
de acalma e maré
começa anochecer
não podia deixar de voltear a te ver
a ver na escuridão que te submergias
onde em algum tempo ver-te-ei de novo
onde o dardo do amor
são pétalos em teu silêncio…

NOTURNO
Thalma Tavares ( Brasil)

Encheram-se de sombras
os caminhos do tempo em nosso rosto.
Somos a tarde a despencar pelo ocaso.

Anoitece…

Percebes o luar em meus cabelos
e eu vejo estrelas extintas em teus olhos.
É música suave o ressonar dos ímpetos
no silêncio do sono que nos cobre.
Beijo-te a face de jaspe enluarada
e a boca úmida de orvalho.
Arrepios sonolentos me asseguram
que o amor apenas dorme.

Em meu anoitecer
sonham poetas tecendo auroras,
céus turquesas e poentes iluminados.
Em nosso anoitecer
somente os sonhos, os mesmos sonhos
grisalhos e cansados nos visitam.
Preciso velar teu sono de ânsias e suspiros,
mas o ermo se alarga e os anseios me vencem.

Então te ergues e vens,
com boca de ternura e olhar de lua plena,
vestida de sonho e bruma, me dizer
que partirei antes da aurora, mas voltarei
quando tramonte o sol lá no horizonte.
Anoitecemos…
Os caminhos do tempo em nossa face
dizem que já não somos o dia
nem a tarde tramontando no poente,
mas a noite – fornalha de sombras e saudades –
sem promessas de novo amanhecer.


8 comentarios en “POEMAS EN PORTUGUÉS”

  1. Excelente trabalho dos amigos portugueses e de outros países divulgando a nossa literatura virtual , com poemas lindíssimos muito bem escritos e editados com cuidados formais como diz a literatura . Parabéns amigos abraços

    Responder
  2. Há sempre um pouco de nós, em cada poema e, ao percorrer todos os versos, nos encontramos nos sentimentos de afeto,
    amor, amizade, interação e essa sabedoria que emana de um por todos e todos por um! Agradeço sempre, essa oportunidade,
    de atravessar o Atlântico, nesse» voo internético» e pousar, de poema em poema numa viagem surreal para valorizar esse
    encantado mundo e prestigiar a criação desses seres tão inspirados! Felicitações abraços à Todos! Cema Raizer.

    Responder
  3. «UM POEMA DE QUERER».( Portugal) VIRGÍNIA BRANCO.
    Um poema be querer além…maia além, sem o outo, somos ninguém!
    Um poema que fala amor de mão dupla, que mostra a importãncia da interação!
    Lindo, parabéns! Beijos, Cema Raizer!

    «O QUE È SERNAMORADO» ( Brasil) Luiz Poeta Quem ama parece adolescente e
    inspirou o poeta a ver de maneira diferente: gostei desse poema observador! Parabéns! CemaRaizer.

    » O QUE É SER NAMORADO» ARY POETA «O POETA DESCALÇO: Já conheço seu caminhar » descalço»em muitos lindos poemas!
    Gostei desse poema realista! «Àguas passadas não movem moinhos» e, o que importa é estar vivo, o resto vem por si!

    «VOZ E POEMA» EUGÈNIO DE SÁ (Portugal) VOZ E POESIA : A poesia fala ao coração, é sonho, realidade, fantasia… é sentir,é palavra,, cérebro,tristeza, alegria… mas na alma de Poeta, nem tempo ruim apaga.Pensamento humano…feito poesia!Bem assim!

    » SEXTILHAS» PROFESSOR GARCIA» ( Brasil) antes passainho do que mal acompanhado… e , na Pátria de cada um, a natureza
    inspira o poeta! Lindo poema!

    «SOMHO DE PAZ» JOSÉ LISSIDINI SÁNCHEZ ( URUGUAI) : Tema difícil, mas que nos aproxima! Sonhos bons, tristes recordações…
    Que seja exemplo de luta o teu POEMA!

    Responder
  4. «SERVIDOR «AMILTON MACIEL MONTEIRO (BRASIL) : Poema é isso! sonho,pesadelo,espera,busca , realidade… que encontre consolo
    essa apaixonada servidão… Que a alma possa trazer à luz … Libertação!
    » A ALEGRIA » GABRIELA PAES (PORTUGAL) : Um poema Otimista que aconchega…Sorriso, paz, vida, amor…Contigo vislumbro esse jardim cintilante, no decorrer da vida! Cheio de ternura e ensolarado! Parabéns, Poema iluminado!

    Responder
  5. Poesia, minha verdadeira paixão, vinda de onde vier…
    Abençoados todos vocês, que sabem lidar em rimas com todas as nossas emoções.
    Meu abraço a cada um.
    Muito grata.
    magda

    Responder
  6. «O TEMPO PASSA » SUSANA CUSTÓDIO !PORTUGAL)
    Enquanto o tempo passa, realiza em ti o milagre que
    te leva a registrar sonhos , tua vida, teu pensar… e esse
    lindo poema que colheste no jardim de tua inspiração!
    No tempo que passa a poesia se reveste tua vida de luz!

    Responder
  7. «CONSELHOS DE MÃE»CAROLINA RAMOS :Um conselho de mãe completo: Contém força, amor
    coragem, confiança,esperança e exemplo e fé! Versos que envolvem e acalenta! Obrigada, Carolina!

    Responder
  8. «OLHO O PASSADO»CARLOS RODRIGUES SÁNCHES (USA): Imagem perfeita, que tua poesia define! Parabéns,CARLOS!!!!

    «NOTURNO» THALMA TAVARES:(BRASIL}: PARABÉNS THALMA, por essa inusitada inspiração, um sutil retrato da vida…

    Responder

Deja un comentario