POEMAS EM PORTUGUÉS

Todo lo publicado en esta revista esta sujeto  la ley de propiedad intelectual de España” Ley 21/2014 de 4 de noviembre, por la que se modifica el texto refundido de La ley de Propiedad Intelectual, aprobado por Real Decreto  Legislativo 1/1996 del doce de abril, y la ley 1/2000, de siete de enero de Enjuiciamiento Civil” todos los derechos están reservados .Luna Sol Internacional está registrada ante la propiedad intelectual de España y el copyright de Estados Unidos

SOMBRAS BAILARINAS

Márcia Portella

Mesmo que você passe como a neblina fria
 por planícies esquecidas, receberei seu calor
.
Quando sua sombra escondida no aguário
da memória me tocar, serei verso soluçante
entre flores cristalizadas no frio da madrugada

No encanto desse amor infinito, adejando
em sonhos, engolida na noite, serei mancha
devorada pela bruma entre sombras bailarinas.

No Condicional
Eugénio de Sá

E quando o verso se entrosar no mote
E quando as flores, enfim, forem beleza
Então o estro far-se-á certeza
Nascerão rosas do caule precoce.

E quando tu, amor, te consertares
Com o almo que outrora te moveu
Então renascerei, serei mais eu
Ao conhecer-te o riso, por me amares.

Mas não são fáceis os alvores do dia
C’o a densa bruma que paira no prado
Cada manhã que és doce fantasia.

É esta a mágoa, é este o meu fado
Condenação, quem sabe; aleivosia
Auto flagelação de um mal amado.

Dezembro de 2016
Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

TEMPOS DOURADOS
(Humberto Rodrigues Neto)

Tempos de sonho, em que a mente realça
minha garota a flutuar na valsa
sob os volteios de um amor sincero…
E vinha o mambo, um fox caprichado,
depois ao meu, seu rostinho colado,
curtíamos um romântico bolero!

Por sobre a anágua, a saia bem rodada,
a cinturinha fina e modelada,
como era bom rodopiar com ela!
Meu terno justo, na medida exata,
um brilhante afixado na gravata
e um perfumado cravo na lapela!

Tempo em que haurimos as canções da mídia:
“Besame Mucho”, “Dos Almas”, “Perfídia”,
em suspirosos tons sentimentais!
Hoje estou velho e fico aqui cerzindo
rotos farrapos de um passado lindo
que foi-se embora e que não volta mais

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

ÂNSIA DE VOAR
Luiz Poeta

Luiz Gilberto de Barros
Primeiro soneto de 2017 – às 7h e 37 min do dia 1º de janeiro de 2017

No primeiro dia, o primeiro olhar
sobre o horizonte de um novo destino
que a esperança teima em modificar
…como é bom sonhar com os olhos de um menino.

No primeiro azul, a ânsia de voar,
de sobrevoar o tempo que passou;
nova sensação do amor querendo… amar
…como e bom sonhar o que não se sonhou.

No primeiro verso, um rio se formando
límpido, sereno, jovem…rabiscando
um rumo no tempo… em forma de poesia

e o primeiro riso livre a construir
novas emoções no ato de sorrir
e de diluir o amor…na fantasia.

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

VERDADE
Carolina Ramos

Todos pensavam que a felicidade
era a bandeira azul que eu conduzia!
Todos pensavam, sim, mas a Verdade,
além de mim, somente Deus sabia.
Ninguém sonhava a triste realidade
que em meio à multidão me perseguia;
nem que o sorriso meigo de humildade
era regado em pranto, noite e dia!
Quem poderia crer que a tais extremos
eu chegasse, partindo os frágeis remos
de um destino cruel! Ninguém supunha
que um oceano de lama, tormentoso,
eu banisse de mim… e em céu calmoso,
fosse viver os sonhos que eu compunha!
Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

AS HORAS ERMAS
Thalma Tavares

Ah! solidão, como tu és danosa!…
Quando me cercas com o teu vazio,
minha alma triste, insone, pesarosa,
sofre de ausências neste quarto frio.

Estendo as mãos ao nada e desafio
a noite, que se adensa vagarosa
sobre o meu corpo tenso e erradio,
a se agitar na insônia insidiosa.

Não há ninguém em minhas horas ermas.
Apenas sombras do passado, enfermas,
povoam de saudade minhas noites.

E então maldigo a solidão das horas
e a chegada acintosa das auroras,
que me fustigam com seus mil açoites

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

RETRATO DA VIDA
Professor García

Já fui moço, seu moço e não me esqueço,
Do que fiz na mais tenra mocidade.
Deus que é Pai, me deu tudo que mereço,
Neste mundo carente de bondade.

Este dom de poeta eu ofereço
Aos amores da eterna flor da idade,
Que fizeram de tudo um recomeço
Afastando de mim tanta saudade.

Mas o tempo não para e a vida passa,
E eu me vendo no espelho, já sem graça,
Conto as rugas que aumentam meu desgosto,

E me pondo a pensar no que já fiz,
Rogo a Deus, que me faça ser feliz,
Abraçando estas rugas do meu rosto!

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

BEM -TE-VI
Regina Coeli

Olhei, olhei, mas não vi…
Onde andará, afinal,
Aquele que me sorri

Em seu grito matinal?
Rolinhas tricotam mágoas
No pé do meu sapoti;
Canários se esbaldam em águas,
Encantos que eu tenho aqui.

Procuro, mas não te vejo
No peitoril da janela;
Ah, é grande o meu desejo
De te ver cantando nela…

Quem viu meu pequeno amor,
O que acorda a passarada,
Gritando pra ninho e flor
Que é chegada a alvorada?…

Quem viu um ser elegante,
Altivo e mais que bonito
Com olhar desafiante
E desafiando o infinito?…

Onde andará meu amigo,
Ser alado em obra-prima,
Que eu ao Criador bendigo
Por beleza que me anima?

Volta, que estou te esperando!
Vem, que eu não saio daqui,
Te esperando… E já escutando
O teu grito… «bem-te-vi!»

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

NÃO TEM NADA MAIS LÓGICO QUE DEUS
Raymundo de Salles Brasil

28 Enero 2017

O homem tem buscado na ciência
Como o mundo de fato foi nascido.
Estagnado na própria inteligência,
Tem feito até um esforço desmedido.

Há de buscar ainda. A prepotência

Não lhe permite seja convencido
Que tal feito e tamanha providência,
De Deus, de Deus somente tenha sido.

Foi tudo feito no lugar, certinho…
Das estrelas no céu ao passarinho,
E não foi por acaso, amigos meus.

Oh cientistas! Perdoem meu conceito:
– Pra criação de um mundo tão perfeito,
Não tem nada mais lógico que Deus.

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

D I S T Â N C I A  
João Batista Xavier Oliveira

Eu tenho pena da nossa amizade
que é tão sublime por anos a fio.
Mas a distância qual águas de um rio
tem seu destino em corrente saudade.

Nosso barquinho mantém desafio;
enfrenta as ondas e até tempestade
e na esperança que os olhos invade
o pranto morno acoberta este frio.

Quem sabe um dia a inversão dê sentido;
num porto espreite o lampejo fugido
e o tempo aporte no chão da vontade;

As nossas mãos enrugadas desmontem
a solidão e que eu diga: foi ontem
que eu tinha pena de nossa amizade!

Separador-plateado---Anabella--_zpsc4ad4298

 

5 comentarios en “POEMAS EM PORTUGUÉS”

  1. Quando duas línguas se diluem num só sentimento, a batida de cada coração exprime-se sem tradutor, porque, a cada leitura, os olhos se tornam o melhor caminho do melhor afeto. É assim que vejo LunaSol: um todo de partes que se necessitam porque precisam diluir-se.
    Obrigado, de coração, especialmente às madas hermanas Eunate Goikoetxea e Cristina Chavez, em cujos corações estão a essência do melhor que existe em cada um de nós: o amor pelo próximo.
    Obrigado, também e sempre, à amada irmã Gislaine Canalles, por ser mais que uma ponte: a veia que leva o sangue da poesia a todos os corações.
    Deus as abençoe e que LunaSol seja sempre o rio de sonhos onde nossos melhores sentimentos possam navegar. Luiz Poeta – Luiz Gilberto de Barros – Rio de Janeiro – Brasil

    Responder
  2. É meu privilégio poder participar em mais uma selecção poética com a qualidade que aqui se evidencia.
    Sem dúvida que os obectivos traçados pela fundadora da LunaSol, Cristina Oliveira Chavez,
    e brilhantemente continuados pela sua directora editorial, Eunate Goikoetxea, continuam a estar para além
    das melhores expectativas.
    Os meus parabéns.

    Responder
  3. Num CONDICIONAL exercício entre AS HORAS ERMAS dos meus TEMPOS DOURADOS, ante as SOMBRAS BAILARINAS,
    com ÂNSIA DE VOAR à DISTÂNCIA à procura da VERDADE, BEM-TE-VI… Eis o RETRATO DA VIDA! NÃO TEM NADA MAIS LÓGICO QUE DEUS!

    Parabéns aos autores de seus textos e à editora que, diuturnamente (Lunasol) os difunde para o mundo de nossos sonhos.

    Responder
  4. Todos y cada uno de los poemas, son joyas invaluables. Es un gran placer poder leer tan hermosa poesía, porque gracias a ella puedo ver el corazón de cada escritor.

    Responder

Deja un comentario