POEMAS EM PORTUGUÉS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de propiedad intelectual de España
Octubre  2.019  nº 24
La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras

AL SERVICIO DE LA PAZ Y LA CULTURA HISPANO LUSA

 

COLABORAN: Eugenio de Sá (Portugal)…Jose Ernesto Ferraresso (Brasil)…Luis Gilberto do Barros (Luiz Poeta)(Brasil)…Amilton Maciel Monteiro (Brasil)…Regina Coeli Rebelo Rocha(Brasil)…Thalma Tavares(Brasil)

Cada um tem o seu passado fechado em si,
tal como um livro que se conhece de cor,
livro de que os amigos apenas conhecem o título.
Virginia Wool
Invocação
Almas antigas de ancestrais figuras
Que ora baixastes lá dessas alturas
Trazei ao mundo a vossa sapiência
E adequai-nos aquela grandeza
Que cultivastes tendo por certeza
Que no amor sempre haverá coerência.
ALMAS ANTIGAS
( Eugénio de Sá )
Almas antigas não sabem que o são
Mas os corpos que ocupam dão-se a mão
Como se comandassem os destinos
De outros seres talvez menos dotados
Que elas procuram que sejam amados
Pois sentem que do bem são paladinos.
Desses lugares estranhos donde vêm
Em cujo ocluso indício não se atêm
Souberam que a culpa tem clemência
E da reflexão fizeram sábia norma
Que a vida assim pensada mais se enforma
Pra melhor estruturar a consciência.
Não se estranhe que busque a solidão
E que uma alma antiga crie um bastião
Para nesse reduto lograr o isolamento
E desde aí, observadora e intuitiva
Ela imagina soluções pra cada vida
Onde a humanidade seja o provimento.
Quanta coragem têm as anosas almas
Ao partilhar connosco as suas chamas
Sem mais deixarem cinzas esquecidas
Na senda dos caminhos que pisaram
Mas que por nós – estoicas – desbravaram
Pra que vivamos melhor as nossas vidas.

Reflexo?
José Ernesto Ferraresso

Serra Negra 23/10/19
Vejo no mar calmo teu reflexo.
Um lugar sereno e de paz.
Nas águas salgadas o reflexo do teu olhar.
Nas areias ao olhar essas
águas infindas e intermináveis,
tento desenhar a tua imagem.
Tua presença me é constante
sinto como estivestes presente .
Desejo-te e sinto teu cheiro
que me vem me encantar.
Será ilusão?
não consigo imaginar;
porém tento adivinhar e acreditar…

PLANTA –
Luiz Poeta Luiz Gilberto de Barros
Rio de Janeiro Brasil. – 
A vida que há em nós é uma planta
Que sempre se agiganta a cada dia,
Mas sofre a cada dor que a desencanta…
… na vida de uma planta há… poesia.
Quem vive rebrotando à revelia
Da dor dos desencantos passageiros,
Dá mais valor à própria fantasia
Da planta que encanta os jardineiros.
E se há amor em quem trata de nós
Como quem se preocupa com o jardim,
Ganhamos, mais que luz, amor e voz…
E eu trato de você e você… de mim.
Azuis só polinizam o que enfeito
De verde, se há, em mim, uma esperança,
De diluir, bem dentro do meu peito,
Um adulto no olhar de uma criança.
Assim me polinizo e me fecundo:
fazendo dos segundos que abençoo ,
Um ato de amor maior que o mundo
E assim, traço meu rumo a cada voo
A vida que há em nós se despetala,
No vento que embala nosso amor,
Porém nossa lembrança não se cala,
Pois fala, dentro dela, a alma da flor.
Às 8h e 15 min do dia 23 de outubro de 2019 do Rio de Janeiro Brasil
DIA DA CRIANÇA
Amilton Maciel Monteiro
sjc, 12 de Outubro de 2019.
Gosto demais do Dia da Criança,
que sempre traz feliz recordação,
pois até onde a minha mente alcança,
relembro do bom tempo que era então…
Meus filhos rindo à toa, na festança,
que faziam com jogos de botão;
ou produzindo a maior lambança,
com cambalhotas dadas no colchão….
Dinheiro escasso…, nada de brinquedos
caros comprados. Eram só folguedos
com velha bola e amigos, nas calçadas…
E em casa à noite, em meio de carinhos,
ganhavam beijos, balas e docinhos…
E todas se sentiam abençoadas!

 CASINHA DE BARRO 
Regina Coeli Rebelo Rocha
Brasil
João-de-barro, ó joão-de-barro,
Passarinho construtor
Constrói casinha de barro
Pra eu morar com meu amor
Faz pra mim o favorzinho
De pôr teto no meu sonho
Que vive, só, sem carinho
E com cara de tristonho
Uma casa na paineira
Quem sabe no flamboyant
Pode ser na goiabeira
Ou num galho de romã
Até pode, ó amiguinho,
Ser numa bela roseira,
Que perfume com espinho
É coisa da vida inteira
Nessa casa vou ficar
Aguardando o meu amor
E à noite, à luz do luar,
Dar beijo cheirando a flor
Meu passarinho operário
Faz uma casa singela
Um ninho, um quase sacrário,
Não te esqueças da janela…

ESTRANHOS NO PARNASO
Thalma Tavares
Foi ao findar-se a memorável noite,
quando do sol já escondia a lua
e a aurora punha lampejos
em nossas taças vazias,
que eles chegaram temerosos
perguntando-me quem eras, que poderes possuías
que me trazias recluso em teu palácio
e prendias ao teu chão meus pés andejos…
Quem eras tu, afinal, que em tua honra
tantas taças se erguiam
e a quem tantos como eu erguiam lumes?
E eu não lhes disse que tu eras filho do infinito
nem que nasceras de um luminoso parto sideral,
nem que eras um semideus de espumas e quimeras
recém-chegado do mais longe da saudade.
Eu não lhes disse que teu verbo era sol
dourando o impreciso
no indeciso côncavo do ocaso,
nem que eras um lapidário de harmonias
que cinzelava cânticos e prantos,
musas no cio e sóis incandescentes.
Não lhes disse também que eu andava seduzido
pela beleza das musas que esculpias
ao som de tua cítara divina
nem que eras menestrel do inexprimível
com um recado de amor em cada verso,
ora tocando uma viola ardente,
ora acrescendo uma lágrima urgente
às dores do universo.
Não lhes disse de como te parecias ao Cristo
quando abrias no espaço os grandes braços,
nem de como te fazias menino
cavalgando o horizonte na linha de um quadrado.
Não lhes disse que eras um sismo de montanhas,
um bramir de oceanos e um sussurro de Deus…
Disse-lhes que tu eras um poeta, tão somente…
Eles sorriram aliviados e partiram indiferentes.

7 comentarios en “POEMAS EM PORTUGUÉS”

  1. Agradeço a atenção e o carinho da amiga Eunate por atender meu pedido de aceitar o meu trabalho sobre a água, devido estar formatando meu computador não entreguei em período certo, nem ia participar mas tive um contato pelo Facebook e ela me cobrou do trabalho, amiga que foi cordata e pediu para elaborar alguma coisa sobre o tema de mês de outubro sobre a água. Aproveitando quero parabenizar todos os amigos que discorreram seus momentos de emoção e suas divagações , aqui neste espaço literário de grande importância para todos nós. Parabéns aos coordenadores do evento e não medem esforços para a realização do evento . Sucesso sempre amigos!

    Responder
  2. Mesmo não conseguido imaginar, esse «REFLEXO» permeia a mais doce inspiração! E que sinaliza um momento dramático,
    de imenso amor, na força de um poema! Um amor que através de versos me comovem, não pode ser ilusão é inspiração de Bom
    POETA, a nos transmitir, algo que não é único, pertence a muitos : é verdadeiro! Habita o coração de muitos seres…
    Grande inspiração Ernesto, poema triste, que fala de vidas e muito amor : «REFLEXO?»

    Responder
  3. «PLANTA» : LUIZ POETA.
    Linda comparação e especial Poesia! Traz todo encanto de um jardim, Permeia os versos com amor e esperança pra
    sempre lembrar como alma e flor. Um abraço a essa inspiração …e ao seu autor! Assim, vida é bela!

    Responder
  4. » CASINHA DE BARRO» : Regina Coeli Rebelo Rocha : Ah! É só alegria, a tua poesia, Regina!n Singela doce feminina!
    A vida é mais bela, quando podemos ler a doçura dos versos que envolvem a natureza… e o sentimento mais puro!!!
    Beijos pra você, pro Brasil e todo o Mundo!

    Responder
  5. «ALMAS ANTIGAS» : Eugénio de Sá : Parece conto, parece presságio… mas é encontro… é encanto! Fala de «Almas
    Antigas, reflexão, sabedoria,solidão, intuição… Sustenta e define versos direcionados a proteger e acalentar vidas !
    Versos que sustentam o saber e o ser.Um tema feito luz, para interiorizar… Como luz de estrelas…

    Responder
  6. «DIA DA CRIANÇA»: Amilton Maciel Monteiro – É um sonho bom, o teu poema! Lembranças que atravessam anos!
    Não era preciso muito para ser feliz… Lembrar infância é fantástico: Bolinha de gude, peteca pula corda,roda pião, e …
    criatividade pra dar e vender! Teu poema é sonho bom que desperta lembranças e faz bater forte o coração…
    Parabéns pelas lindas lembranças , Amilton!!!

    Responder
  7. «ESTRANHOS NO PARNASO» THALMA TAVARES : sem dúvida, teu poema é uma arte poética que parece inscrita à cinzel,
    numa pedra preciosa: encantadora!

    Responder

Deja un comentario