POEMAS EM PORTUGUÉS

Todo lo publicado en esta revista esta sujeto la ley de propiedad intelectual de España” Ley 21/2014 de 4 de noviembre, por la que se modifica el texto refundido de La ley de Propiedad Intelectual, aprobado por Real Decreto Legislativo 1/1996 del doce de abril, y la ley 1/2000, de siete de enero de Enjuiciamiento Civil” todos los derechos están reservados .Luna Sol Internacional está registrada ante la propiedad intelectual de España y el copyright de Estados Unidos.

 

separador Lunasol plata

 MAR DE MARASMOS 

Mar, chamo-te meu e em ti me atenho
Embarcado sem rumo e sem empenho
Nas indiferenças de um destino incerto.

Mar de Sargaços, quieto, inexorável
Que me tornas a vida miserável
Nos marasmos de um fado aziago.  

Estuário do nada, cais de cousa alguma
Chão de água estagnada, onde a bruma
Deixa embotada e tonta a minha alma.

Em ti se imergem glórias esquecidas
Marulhadas memórias d’outras vidas
Salobras e paradas nostalgias.

Em ti vivem somente as amarguras
Dormências de quimeras e de agruras
Inércias, e pavores, e aleivosias. 

Ah meu mar, meu algoz, encantamento
Mesmo em ti mergulhado não lamento
Pois tua espuma é sonho nos meus dias!

Eugénio de Sá ( Sintra/Portugal)
separador Lunasol plata

PENA

Eu tenho pena de quem não tem pena
de ver penar a quem penar merece,
porque a piedade é dádiva serena
que abranda o orgulho,  enquanto à alma aquece !

Quem não tem pena e ao pecador condena,
antes que o próprio Deus perdão lhe desse,
tão pobre tem a alma e tão pequena,
que a divina bondade desconhece!

Deus é a Verdade! É o Verbo que decide!
E quem deve pagar há de pagar no dia
desse acerto final que ações divide!

E eu tenho pena, sim, desse coitado,
que condena, sem pena e, que ironia!,
talvez sem pena venha a ser julgado!

Carolina Ramos separador Lunasol plata

Prof. Garcia (Caicó-RN)

Glosando Ademar Macedo (Natal-RN)

Ademar Macedo:

NA FLORESTA, A “DERRUBADA”
DEIXA EM MINHA ALMA SEQUELA,
POIS A DOR DA MACHADADA
DÓI MAIS EM MIM DO QUE NELA.

NA FLORESTA, A “DERRUBADA”
Destrói tudo sem ter dó;
Sem piedade, a queimada,
Transforma a floresta em pó.

Ao ver da floresta o corte,
DEIXA EM MINHA ALMA SEQUELA,
Eu sinto as dores da morte,
Na dor dos gemidos dela.

A mão injusta, malvada,
Destrói a mata inocente;
POIS A DOR DA MACHADADA,
Não sente a dor que ela sente.

Quem a floresta destrói,
Não sente nada por ela.
Esta dor que tanto dói,
DÓI MAIS EM MIM DO QUE NEL separador Lunasol plata

VIDA CEIFADA

Ary Franco (O Poeta Descalço)

Em meio à floresta vejo uma árvore caída no caminho.
Era grande, muito grande… foi abatida a machadadas.
De seus cortes ainda recendia a dor do ato mesquinho.
Que mal haveria feito, para ter sua vida assim ceifada?

Nenhum! Em seus fortes galhos ainda haviam ninhos.
Sobrevoando à sua volta, choravam vários passarinhos.
Pelo verdor de sua folhagem, achei que ainda respirava.
Sofrendo, mantinha-se viva no estertor que lhe restava.

Imaginei o gemido do estalar de seu tronco ao desabar.
Lânguido e dorido choro que pela floresta se fez ecoar.
Por quantas décadas deste sombra ao viajante cansado?
E agora terminas teus dias pelas mãos de um desalmado!

Meus Deus! Juro-te que tento amar meus semelhantes,
Mas alguns tornam-se desse meu amor, tão distantes…
Perdoai-me se Te desobedeço abrindo alguma exceção.
O autor desse crime não tem, igual a mim, um coração.

O que faz com que um filho Teu maltrate um animal?
O que o leva a dizimar florestas? Com pode ser tão mau?
Secam rios, poluem lagos, aviltam a sagrada natureza.
Sei que um dia pagaremos caro por isso. Tenho certeza!

SE O ANIMAL HOMEM NÃO INTERFERIR,
“TODAS AS ÁRVORES MORRERÃO DE PÉ!”

separador Lunasol plata

MULHER INDECENTE

Humberto – Poeta

Pra preencher seu ego pervertido
essa mulher de mim tem exigido
que eu lhe atenda as mais crassas tentações!
Tudo que é forma de amor indecente
exige que eu também experimente,
no mais libidinoso e deprimente
suceder de impensadas perversões!

Jamais topei mulher devassa assim,
a me propor aberrações sem fim
numa depravação vil e medonha!
Pra fugir do prazer que exige agora,
que a qualquer homem másculo apavora,
de casa amanhã mesmo caio fora
pra ver se escapo dessa sem vergonha!

separador Lunasol plata

ORAÇÃO DO CEGO

Senhor,
eu agradeço a vida
que  me deste
e a riqueza interior
que  trago em mim.
Sem a visão,
Senhor ,
Tu me fizeste
e eu agradeço a vida,
mesmo ,assim !
Apesar desta eterna
escuridão,
eu posso ouvir,
posso falar
e andar…
E nada há melhor
que um coração,
capaz de amar ,
sentir e palpitar!
Senhor,
esta cegueira
que carrego
é física,
é ,apenas, aparente,
pois,Tu, desenvolveste
os meus sentidos,
e eu posso ver
de forma diferente !
Há pessoas que não têm
tanta riqueza,
embora possam tudo
enxergar,
pois não veem, como eu,
essa beleza,
que a natureza
está a lhes mostrar!
Elas são cegas,
todos nós sabemos,
pois cego
é todo o ser
que não quer ver.
E, nós, Senhor,
chamados cegos,
vemos
e te louvamos
para  agradecer!

Delcy Canalles


separador Lunasol plata

AMANTE É QUEM AMA

Luiz Gilberto de Barros
( Luiz Poeta)

Somos amantes sem sê-lo,
Mesmo epidermicamente,
Somos mesmo sem sabê-lo,
Somos amantes na mente.

Se um corpo alheio, ao vê-lo,
Sentimos um calor fremente
E, num átimo, por tê-lo,
Ansiamos de repente…

Mesmo estando tão presente
A pessoa que nos ama,
Mesmo estando até na cama
Em carícias envolventes…

Traímos o que nos sente,
Sem todavia traí-lo,
Sentimos o amante ausente,
Sem entretanto senti-lo.

E não depende da gente
Lembrar alguém no momento
Do amor mais forte e envolvente,
Repleto de sentimento.

Traímos no pensamento,
Sem toques e sem contatos,
Portanto, se não há ato,
Não traímos, tão-somente.

Se em pensamentos traímos…
Traímos! …mas quem reclama ?
Porque, quando nos unimos,
Amante é aquele que ama.

separador Lunasol plata

MEU MAR, MEU PARAÍSO…

Gislaine Canales

Águas azuis, areia, praia, mar
e um lindo sol, surgindo no infinito,
que docemente as águas vem dourar,
deixam meu paraíso, mais bonito!

Feliz, eu lanço ao mar, em meu sonhar,
um barco de esperanças, quase um mito,
e, então, consigo vê-lo a navegar,
num pranto de emoção, e alegre, o fito!

Vibra meu coração descompassado,
a boiar nesse mar só de alegria,
onde todo o ruim, foi afastado!

Esse mar, ora azul, ora dourado
serviu de inspiração a esta poesia
e em seus versos ficou eternizado!

separador Lunasol plata

AINDA SOU FLOR!

Regina Coeli

Ainda que sem pétalas, sou flor!
Cheiro a perfume que exalei um dia,
Inebriando a minha fantasia
De enfeitar o jardim do meu amor.

Se pétalas perdi no meu ardor
De colorir o que, sem cor, eu via,
Sei que a flor tem seu tempo de magia
E, como o sol, tem hora de se pôr…

Nasci botão, sou flor e, sem retarde,
Sinto meu colorido esmaecer
Como um amanhecer que jaz na tarde

E morre ao encontrar o anoitecer…
Não tenho que fazer da morte alarde,
Pois o que nasce acaba por morrer


separador Lunasol plata

4 comentarios en “POEMAS EM PORTUGUÉS”

  1. Preciosos poemas, es un placer leerlos , cada uno
    expresa los bellos sentimientos, al amor, la naturaleza
    y al prójimo que sufre alguna discapacidad.
    Versos que son un grito del alma para despertar de la somnolencia y hacer del ser humano una mejor persona.
    Muchas gracias mis admirados amigos y amigas por estar presente en LunaSol.
    Dios los bendiga.

    Cristina Olivera Chávez

    Responder
  2. Obrigado pela modesta parte que toca, Cristina. E tens razão; os poemas aqui transcritos abonam a qualidade poética dos meus pares aqui representados, entre eles alguns amigos de coração. E assim, aos poucos, a LunaSol vai-se afirmando como uma publicação internética que é já uma referência no panorama cultural de ambas as linguas.

    Deixo-te os meus parabens, extensivos a Eunate Goikoetxea

    Responder
  3. Contando com um elenco de excelentes poetas e sonetistas a LunaSol nos brinda com o deslumbramento de poemas de uma beleza quase sobrenatural. Meus efusivos parabéns à Eunate, extensivos à sua equipe de trabalho e a todos os poetas participantes.

    Responder
  4. Parabéns Cristina pela bela Revista e também para todo o elenco que a compõe. Quanto aos poemas, tem muita qualidade. Parabéns aos poetas. Um abraço pra todos.

    Responder

Deja un comentario