POEMAS A LOS MAGOS DE ORIENTE EM PORTUGUÉS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de propiedad intelectual de España

Enero  2021 nº 39

La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras
AL SERVICIO DE LA PAZ Y LA CULTURA HISPANO LUSA

 

COLABORAN: Maria Inês Aroeira Braga.-Virginia Branco (Portugal).-Eugénio de Sá (Portugal).-Alfredo dos Santos Mendes (Portugal).-Santa Catarina Fernandes da Silva Costa (Brasil).-José Ernesto Ferraresso  ( Brasil).- Iran Lobato.- (Portugal) Tito Olívio (Portugal).-Gabriela País (Portugal).-Cema Raizer (Portugal).-

Três Magos e Uma Estrela
Maria Inês Aroeira Braga

Surge um brilho no céu do Oriente
E três Magos o fitam com alegria…
É um sinal, e crêem firmemente,
Já que citado foi em profecia…

Partem seguindo aquela luz tão bela,
E alguns pastores o fazem também,
Pois um Anjo lhes disse que a Estrela,
Mostrava o Salvador lá em Belém…

A noite estava calma e era tão linda!
Nos corações uma esperança infinda,
E assim partiram sob aquela luz…

Ela pairou sobre o estrebaria,
E no colo tão jovem de Maria,
Três Magos viram o Menino Jesus…


R E I S  M A G O S
Virgínia Branco
Portugal

Maria concebeu divino verbo
E deu à luz o nosso Salvador.
Foi na vida Rei e Servo,
Jesus, Boa-Nova só de amor.

O mundo ajoelhou nos portais
Onde Anjos entoavam hinos.
Vieram reis, pastores e animais;
“In Excelsis Déo” Jesus menino!

Três Reis Magos foram guiados
Por uma estrela a Oriente.
Os alforges íam bem apetrechados;
Presentes para  Deus, que nasceu gente.

Belchior com seu ouro o brindou
Pois sabia-o Rei da verdade.
Baltazar com incenso o perfumou,
Dado reconhecer-lhe a Divindade.

Mirra foi presente de Gaspar,
Acreditou na sua Humanidade.
Se nós O quisermos saudar,
Vivamos sempre em Fraternidade.

OS REIS MAGOS
Eugénio de Sá
Portugal

Reza o texto da antiga escritura
Que pouco antes de nascer Jesus
Uma estrela surgiu brilhante e pura
Mais intensa, fulgindo a sua luz.

Vinha inda longe o alvorecer
Os reis olhavam ligados aos céus
E viram a estrelinha a se mover
Como sinais de aviso do bom Deus.

E entre as constelações, a estrela-guia
C’o mais intensa luz, os foi guiando
Até Belém, onde Jesus nascia.

Prostraram-se os três reis, ali amando
Aquele menino nos braços de Maria
Porque era Deus que estavam venerando. 

OS TRÊS REIS MAGOS
Alfredo dos Santos Mendes
Portugal

Caminhando sozinhos no deserto,
uma estrela seguiam com fervor.
Naquele brilho intenso, com fulgor,
Sentiam que Jesus estava perto!

Três Reis Magos que tinham como certo,
Ir encontrar a luz, e muito amor.
Reis: Gaspar. Baltazar e Belchior.
Sonhavam com um mundo mais liberto!

Traziam suas prendas p´ra Jesus.
OURO, para que houvesse muita luz,
Iluminando mentes depravadas,

INCESNSO, p´ra nos dar um bom viver.
A MIRRA, nosso corpo proteger…
E abrir algumas portas encerradas!

OS MAGOS
Por: Santa Catarina Fernandes da Silva Costa
Brasil

Lá se foram os magos,
saindo do Oriente,
entrando nas areias ardentes,
com ninhos de serpentes
montados em camelos,
guiados pela estrela reluzente,
em direção à Jerusalém,  ao palácio,
onde estaria o recém-nascido, agasalhado.
Mas lá, não foi encontrado.
Só não sabiam que ele era sagrado
e deste mundo seria rejeitado.
Chegaram no local desejado
por um profeta mencionado.
Mirra, ouro, incenso,
presentes ofertados.
E de lá se foram embora.
Por sonhos divinos, avisados,
que no retorno, o caminho
deveria ser alterado.
Mas outro ficara para trás.
Tudo vendeu, desapegou, e o deserto cortou
levando três presentes,
frutos de toda sua riqueza.
Obstáculos no caminho o fizeram parar
E ao próximo ajudar.
Sempre olhando ao céu e dizendo:
Ele pode esperar.
As pedras foram vendidas,
o rubi, o vermelho do manto, do sangue,
A safira escureceu  o azul dos céus,
também se foi, para salvar vida.
Sobrou a pérola, a única que ainda retinha.
Doente, cansado,
a esperança desvanecida,
Alguém gritou: achamos o menino Jesus,
E o encontrou carregando a sua cruz.
Tentou em vão, entregar a sua oferta
Mas uma menina grita:
salva-me, e lá se fui a sua pérola.
A mirra foi grudada no madeiro vermelho,
do sangue que corria,
O rubi brilhante a tudo cabisbaixo assistia.
O incenso virou preces dos seus seguidores.
A safira escurou o azul dos céus,
o ouro virou raios de tempestades,
que cortaram os ares,
do templo, se ouviu, o barulho do rasgar dos véus,
quando do homem santo cessou as dores.
Era uma vez uns magos que saíram do Oriente….

Viagem
Por: Santa Catarina Fernandes da Silva Costa
Brasil

Que estrada longa, infinita, onde estou?
No fundo do mar!  No mar?
Onde estão as águas?
Tudo escuro! O abismo secou.
Elas subiram. O sol as levou para os céus.
Olhei para o alto,
O sol estava pequeno, tímido, com pouca luz,
Cores infinitas bordaram o firmamento,
com o brilho das águas salgadas, cristalizadas:
azul escuro, claro, vermelho, laranja, e ondas prateadas
do oceano todo acumulado nas alturas!
Nada mais havia a não ser este espetáculo celestial.
Precisa sair daí, alguém grita. Sim, preciso sair.
Um paredão de concreto e ferro, cheio de escadas escuras surge,
e começo a escalada, sem pressa,
sem medo, encantada.
Quando chego no último degrau,
alguém me estende a mão.
Entre tantas pessoas me misturei
com olhos fitos aos céus.
De vez em quando descia, como cascatas
águas congeladas, feito rendas, feito véus,
Mas não chegavam ao solo,
se desfaziam nos ares.
Um Comandante se aproximou,
ao meu lado ficou mirando o infinito.
Uniforme branco, divisas azuis,
negro com a noite,

Sorriso brando,
com dentes brancos, perfeitos.
Disse-me tranquilo:
já enfrentei tempestades,
Precisava salvar vidas,
mas sempre soube
que Ele estava no comando.
Não sei se era comandante do mar ou do ar.
De repente, desapareceu.
 todos calmos, serenos, fitando o céu.

Natal Entre Os Reis Magos
José Ernesto Ferraresso
Brasil

Instantes de confraternização e simplicidade.
Aconchega-se ali um recém-nascido: 
o Salvador da humanidade.
Seus pais olham com amor e eterna dedicação.
Adornado em uma choupana simples é acolhido
por pastores, animais e reis. 
Presentes dos mais humildes até os mais significantes

foram a Ele oferecidos. 
Ouro, Incenso e Mirra  pelos três Reis Magos.  
São eles; Gaspar, Baltazar e Belchior que guiados
por uma estrela encontraram aquele menino.  
União, amor gestos de simplicidade e humildade.
Realmente, Ele é o rebento iluminado encontrado.

que através do amor, seu nascimento fora abençoado.
Sua vida foi de uma árdua e penosa caminhada. 
com provações, sofrimentos e tentações.
Cresceu, pregou e nos ensinou a sermos humildes.
Viveu e morreu por nós e ressuscitou.  
Deixou-nos amor, conhecimento, união, gestos de

simplicidade e tamanha dedicação. 
Natal é símbolo de fraternidade entre todos os povos.
Natal é um momento de amor, gratidão e compreensão. 

SEGUE A ESTRELA DO CÉU
Iran Lobato
Portugal

Segue a estrela do céu, Baltazar;
Olha a cauda de luz que reluz,
Chama o Belchior e o Gaspar…
É Natal, vem vindo o Menino Jesus.

O caminho indicado é Belém.
Glória a Deus; os anjos entoando,
E os arcanjos dizendo amém.
– Paz na Terra que o Rei vem chegando.

Chega o grupo de Reis do Oriente
Pela estrela celeste, guiados,
Ofertando os mais nobres presentes
Prostrados, ante ao Menino Sagrado.

Nasceu Jesus, o nosso Salvador,
Cantemos esta noite com alegria,
Foi Deus que ao nosso mundo O enviou;
O Filho do Homem que nasceu de Maria.

OS TRÊS MAGOS
Tito Olívio
Portugal

Vieram três magos, de longe, do Oriente,
Atrás duma estrela, que não era estrela.
Podia ser Deus a espreitar pla janela,
«Menino nasceu», a dizer para a gente.

Não eram nem médicos, nem curandeiros
E menos doutores, que ainda não tinha.
Viviam olhando pró céu, à noitinha,
A ver os mistérios dos astros matreiros.

Trouxeram a mirra, e a prata e o ouro,
Pra dar ao Menino, do mundo, o mais pobre,
Que mão, desse tempo, tais coisas encobre,
Então, que foi feito do grande tesouro?

MAGOS DO ORIENTE
Gabriela Pais
Portugal

Era uma vez, três Reis Magos, um símbolo,
Pois há quem diga terem sido mais,
Caminharam pra Belém, com controlo,
Luzente estrela lhes dava sinais.

Antes da aproximação a Belém
Cruzaram-se com Herodes, falaram
Ao temido rei de Jerusalém
E p’ lo Menino Jesus perguntaram.

Tendo pedido aos magos que partissem,
Creria no regresso e novas de Jesus,
alertados para que não voltassem,
O sonho dá-lhes outro trilho, transluz.

O fito de Herodes era matar Jesus,
Como fez a tantos meninos hebreus
Um rei tirano, sem alma, sem luz,
Jesus era o rei legitimo dos judeus,

Natal é sonhar, é partilha é fervor,
Restaurar o encontro com nazareno,
Gratos p’ lo que nos é dado com amor
e refazer a vida por rumo sereno.

A história dos reis Magos traduz
Franco desejo de paz pelo mundo,
Figura a humanidade e conduz
À união, um apreço fecundo
E, consciência social que frutos produz.

OS REIS MAGOS
Cema Raizer
Portugal

Emocionados saem em busca
Do grande Profeta
Guiados pela estrela…
Palavras Sagradas

Trazendo emoção ternura e Fé
Esperança para a vida
Nos ensinam e nos guiam
Buscam alí a luz Divina

E trazem presentes
Sinos em festa!
Crianças aplaudem
Adultos reverenciam!

Sonhos Fé e Amor
Grande mensagem
Sentimentos recíprocos

Nesses tempos difíceis
De vida,coragem amor, Paz
Está presente o menino Jesus

Deja un comentario