POEMAS A LA PAZ EN PORTUGUÉS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de propiedad intelectual de España
Septiembre  2.019  nº 23
La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras

AL SERVICIO DE LA PAZ Y LA CULTURA HISPANO LUSA

COLABORAN: Virginia Branco…Regina Carvalho… Euclides Cavaco … Eugenio de Sá … Ary Franco… Amilton Maciel Monteiro… Cema Raizer… Carolina Ramos… Profesor Garcia…
MEU VOTO DE PAZ!
Virginia Branco
Que se dispersem nos muros
as balas das espingardas.
Que as luzes dos petardos
se apaguem nos mares!
Que as bombas destruidoras
se diluam nos ares.
Às grandes potências
meu grito de clemência!
Que se contenham as raivas
e se anulem negócios d’armas.
Que a ONU seja atempada
para que não sangrem chagas
e a dor se contenha
no coração das mães.
Que as razões se sentem à mesa
das negociações.
Que as diferenças não fomentem terrorismo!
Que o Humanísmo,
possa destruir todos os outros ísmos
e os interesses instalados !
Nas terras ensanguentadas
e nos campos de refugiados
cresçam papoilas de rubro pintadas!
E as pombas batendo as asas
num céu anil, sem dor
tragam aos homens , nos bicos
os ramos da Paz e  calor do Amor!

DESEJO DE PAZ
Regina Carvalho
No silêncio da manhã,
sentir discreta felicidade,
coração alegre palpitando,
no peito ignorando
a tristeza da solidão.
Alma cheia de bons anseios,
perfeito jardim de sentimentos,
esperança no novo amanhã,
de paz no mundo.
Desejos de ventura,
de vida sem dor
desejos que a alegria se espalhe,
pois a felicidade é um presente
que as lágrimas pode secar.
A felicidade murmura ao coração
desejos verdadeiros de ver a Paz no mundo

O D E À P A Z
Euclides Cavaco
Para no mundo haver PAZ
Não deveria haver guerra
Nem todo aquele que a faz
Ser hospedado na terra.
Para no mundo haver PAZ
Luta com armas de amor
Só assim conseguirás
Fazer um mundo melhor.
Para no mundo haver PAZ
Em qualquer sociedade
Há que em coesão veraz
Dar mais sentido à amizade.
Para no mundo haver PAZ
Deste preceito carece
É que tu sejas capaz
Fazer que ela em ti comece.
A paz de um poeta
Eugénio de Sá
A paz que eu quero é feita de justiça
Não uma paz qualquer, a qualquer preço
Não pode ser um fim, mas um começo
Que ao homem mostre o erro da cobiça
Bradam aos céus os actos de impudor
Sobre a pobreza triste e postergada
A que vive escondida, acocorada
Sempre esbulhada por vis e poltrões
Não mais hipocrisias, podridões
Em que com falsas falas se acarinha
Enquanto se preparam as traições
Que as próprias bruxas feias e daninhas
Sentem inveja dessas urdições
De seres cuja conduta é tão mesquinha
*** *** ***
Quem pela paz não é…
Eugénio de Sá
Quem pela paz não é, então não viu
As misérias que gera a crueldade
Num mundo que devia ter idade
Para expurgar de si tal desvario
Mentes ruins de gentes pigmeias
Que não merecem aquele toque divino
Que Deus nos deu a todos como tino
Pr’a todos respeitar sem falsas peias
Condena-se o esbulho, os enxovalhos
Mas por mais que se queimem incensos
Não se podem remir os contra-sensos
Pois a razão é esparsa por muitos atalhos
Quem pela paz não é, então não sente
A espartana censura dos omissos
Aqueles a quem jurados compromissos
Só levaram à morte e são ausentes
CAMINHO PARA A PAZ
Ary Franco (O Poeta Descalço)
Impossível vivermos numa PAZ INDIVIDUAL. Ela não existe!
Como lidar com um vizinho que dorme com arma sob o travesseiro?
A PAZ tem que ser UNIVERSAL, com todos irmanados e
coesos, tendo-a como solução única e ideal.
Primeiro passo: fomentar confiança mútua entre nações
e acabarmos com as fronteiras. Trânsito livre e irrestrito de ir e vir.
Segundo passo: destruição de todo armamento bélico,
incentivando o diálogo amigável, sem hediondas guerras.
“Ao invés de balas assassinas, troquemos flores.
Ao invés de guardarmos rancores,
Espalhemos amores, ao invés de rancores.
Ao invés de destruir, pensemos em construir.
Somemos e multipliquemos ao invés de diminuir.”
Terceiro passo: a criação de um idioma comum a todos
os habitantes deste nosso imenso planeta, preservando-se
o tradicional de cada povo.
Quarto passo: os países mais adiantados ajudarem incondicionalmente
os menos desenvolvidos e mais carentes, procurando igualar
as condições de vida de todos nós.
Quinto passo: respeito mútuo às tendências religiosas de cada nação.
Sexto passo: PAZ na terra aos homens de boa vontade, e que
todos nós a tenhamos!
***  *** ***
SÚPLICA A DEUS PELA PAZ
Ary Franco (O Poeta Descalço)
De joelhos, agradeço as graças recebidas
Durante este tempo até agora passado.
Todas piedosamente a nós concedidas,
Mesmo que às vezes tenhamos errado.
Rogo que sensibilizeis a humanidade,
Até aqueles mal intencionados.
Que haja somente paz e solidariedade,
Como Jesus Cristo nos tem ensinado.
Suplico que mantenhais os ânimos serenados,
Que o sentimento de paz e amor prevaleça;
Uma existência melhor com todos irmanados
E que a discórdia todo o mundo a esqueça.
Que Vossa Luz Divina ilumine nosso caminho,
Indicando-nos a meta a ser alcançada,
Dispense-nos Vosso Onipotente carinho,
Que a fraternidade seja finalmente arraigada.
Um só povo, uma só nação, uma só civilização;
Todos iguais perante Vós, como pregais.
Sentimentos sinceros vindos de nosso coração;
Guerras, ódios e desavenças nunca mais.

PAZ
Amilton Maciel Monteiro
O que seria a Paz? Seria apenas
a ausência de conflito e de armamento?
Seria a “pomba branca”, entre centenas
desses mísseis cruzando o firmamento?
Mas que seria a Paz? Fruto de amenas
noites de sono, calmas, sem tormento?
Nada mais do que doces e serenas
recordações em nosso pensamento?
A tão sonhada Paz é apenas isso?
Ou nada disso dá-lhe consistência?
Pergunto, mas não vou ficar omisso:
Creio poder dizer sem pedantismo,
ser ela o próprio Amor, em sua essência,
conforme assegura o cristianismo!

A BUSCA
Cema Raizer
Meu olhar brilha nessa hora…
Ouvindo a palavra
Que vem da distância
Num apelo de PAZ…
Um sonho de esperança
Uma vontade altruísta
Irradiando bondade
Pedindo união de todos
Em busca de PAZ…
Uma grande esperança
Lado à lado como irmãos
Vamos juntos partilhar…
Com amor coragem
Na busca do sonho bom
Envolvidos na fé
De mãos estendidas
Façamos uma prece
Seguindo otimistas

Paz
Carolina Ramos – Brasil
Eu quero a Paz de amar a toda a gente,
de ter amigos leais e, simplesmente,
poder cantar e não sentir vergonha
por ver ao meu redor o amargo tédio,
os sonhos que agonizam, sem remédio,
e o pranto que é escondido numa fronha!
Não quero a Paz do ilhado que, em si mesmo,
enterra o espinho recolhido a esmo…
nem quero a Paz das dúvidas caladas!
Desdenho a Paz cruel feita de medos,
que amarra pulsos… tranca em vis segredos
os anseios das almas conformadas!
Quero a Paz conquistada a cada instante!
A Paz estímulo que diz: – Avante!
Não, a Paz das renúncias doloridas,
paz da omissão, covarde, que se oculta
no rictus de um sorriso, Paz que insulta
os passos sem porquês de tantas vidas!
Não quero a Paz tristonha e silenciosa
da derradeira pétala da rosa,
que entregue à brisa, sem destino, seca.
Eu quero a verde Paz das verdes folhas,
que sombra distribuem sem escolhas,
ao pobre, ao rico, ao justo… e ao que mais peca!
Desejo a Paz do mar que beija a areia…
A Paz de crer que a vida não é feia!…
A doce Paz com gosto de esperanças,
que se partilha e jovialmente rola
de mão em mão – qual colorida bola
de um inocente jogo de crianças!
Anseio a Paz serena do Poeta!
Utópica e total! A Paz completa
que vai além da vida… sem ser morte!
A Paz que desconhece os desenganos,
que valoriza os méritos humanos
e ao trabalho enobrece e dá suporte!
Paz de crer que o Amanhã, sonhado, existe!
E que o mundo é feliz… E, não mais triste,
o irmão abraça o irmão, fraternalmente!
Eu quero a Paz do ideal, o mais sagrado,
que é ver o mundo inteiro congraçado
na PAZ feita de AMOR… de AMOR, somente!…

TROVAS A LA PAZ
Profesor García
Quando enfim, tu te ajoelhas,
e o teu perdão te refaz…
Serás luz entre as centelhas
do fogo aceso da paz!
São tantas as evidências
entre o amor, que se desfaz
que, há medos temendo ausências
e há gritos pedindo paz!

2 comentarios en “POEMAS A LA PAZ EN PORTUGUÉS”

  1. 1- Virginia Branco : » Meu voto de Paz» :Expressivo poema que nos impulsiona a pedir Paz!
    2- Regina de Carvalho : «Desejo de Paz» :Toda essa vontade descrita no poema, remete à Paz!
    3- Euclides Cavaco : Momento que faz refletir na força em favor da paz!
    4- Eugénio de Sá : Que prevaleça a justiça, que teu poema tão bem define!
    5- Ary Franco : Sim! Pela paz universal…que teu poema nos mostra em 5 passos!
    E, Pela «Súplica à Deus : Estou contigo…de joelhos!
    6- Amilton Maciel Maciel Monteiro : SIM!!! PAZ…PAZ…PAZ!
    7- Carolina Ramos :»PAZ»: O que desejas, eu também desejo!
    8- Professor Garcia : Sim, Há gritos …pedindo paz!!!

  2. Lindos poemas que fazem meditar… é tão simples entender que a PAZ , lendo o carinho e dedicação de cada autor, a nos
    falar em versos simplesmente lindos, sobre o Branco mais puro que desejamos enaltecer : «A PAZ» !
    Parabéns aos dedicados amigos poetas, pelos belos trabalhos que tive alegria de ler e sentir! Abraços à todos e obrigada
    sempre, atencioso e grande apoio da «Aristos Internacional»!

Deja un comentario