NATAL

 

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a 
la ley de propiedad intelectual de España
En la actualidad se encuentra en trámite el Depósito Legal 

 

 

SUBLIME NATAL

Conto de Ary Franco (O Poeta Descalço)

            Noite fria, caminho em passos trôpegos por enfeitadas calçadas em busca da guarida de uma protetora marquise. É Natal!
            Ouço vozes entoando alegres cânticos, gargalhadas das quais não participo e, por cautela, passo ao largo das casas em que a data é comemorada. Por companhia tenho apenas o isolamento da constante solidão que me cerca, me sufoca, moradora inclemente no meu peito arfante e cansado.
            Sou um mísero e renegado morador de rua. Já tive casa, família, já fui amado, já amei até demais. Hoje nada mais me resta, deixado pelo meu inclemente destino. Por respeito a Deus, jamais apressarei minha morte, mas ao alvorecer de cada dia, oro que ela venha me buscar.
            Atrevo-me a parar e apreciar pela janela de uma casa a festa que fazem, mas logo sou avistado e afugentado aos gritos de “fora, vagabundo!”. Aceito o tratamento pois realmente sou um excluído. Ninguém me aceita para trabalhar por razões obvias: andrajoso, mal cheiroso, idoso demais e outras mais desqualificações desabonadoras.
            Antes de “recolher-me” passo pelas caixas coletoras de lixo e sempre acho algumas sobras que amenizam minha fome. Desta vez dei sorte: alguém por razão desconhecida (talvez tenha caído ao chão), jogou fora um sanduíche de mortadela, quase inteiro. Agradeci a Deus e sentei-me sob uma marquise para saboreá-lo.
            De pé, parecendo esperar-me, tinha um homem beirando seus trinta e três anos de idade, alto, barba e cabelos compridos, olhos brilhantes e com trajes não condizentes com a época atual. Pareci reconhecê-lo mas não me lembrava de onde.
            Quando ia dar a primeira mordida no sanduíche encontrado, ele dirigiu-se a mim com voz doce e suave. Demorastes a chegar, Pedro…
            Quem é você e como sabe meu nome?
            Sou teu irmão, enviado pelo nosso Pai e vim para te ajudar. Por coincidência, comemoram hoje meu aniversario..
            Puxa, meus parabéns! Como presente, você aceita a metade deste sanduíche? É tudo que tenho e que posso lhe oferecer.
            Não, obrigado! Estou bem alimentado e admiro teu nobre gesto oferecendo-me a metade de tudo que possuis. Não deves todas as manhãs pedir a própria morte, pelo contrário, peça vida longa pois, sem o saber, tens ainda uma nobre missão a cumprir. Uma vida ainda salvarás e de todos os pecados estarás redimido. Teu atual sofrimento será regiamente recompensado quando fores recebido por Nosso Pai. Creia! Não perca tua preciosa fé. Mantenha-a em teu coração até que chegue o derradeiro final de tua caminhada.
            Levantei-me com certa dificuldade e falei-lhe com voz trêmula e emocionada: Já sei quem és. Teu nome é Jesus Cristo. Prostrei-me ajoelhado aos seus pés, convulsivamente chorando, e de olhos fechados quis beijar-lhe as mãos, mas Ele havia desaparecido.
            Saí desatinadamente gritando JESUS, JESUS, JESUS. “Cala a boca seu maluco!” Escutei alguém esbravejando de uma casa próxima.
            Cabisbaixo, retornei à marquise e lá estavam dois sanduíches intactos. Olhei para o céu e murmurei, contrito e em voz baixa: “O milagre da multiplicação dos pães!”.

Dois anos depois Pedro faleceu placidamente, no dia seguinte em que convenceu uma mulher a desistir de atirar-se do alto de uma ponte, usando de argumentações iguais às que foram explanadas a ele, por Cristo. Seu corpo foi achado sob a mesma marquise e levado para ser sepultado como indigente.
Obstinada e conformadamente, após o sagrado encontro com Jesus Cristo, suportou o prosseguimento de seu martírio, com a fé inabalável de que sua missão haveria de ser cabalmente cumprida. E o foi! 

Lição de Natal
Carolina Ramos (Brasil)

Pura e límpida, a estrela fulgurante
iluminou os céus da Palestina 
e pastores e reis levou avante
até a boca da gruta pequenina.

Naquele excelso e soberano instante,
reis e plebeu unia a luz divina
e a esperança, com brilho tremulante,
tornava a noite azul e cristalina!

Grande lição, Senhor, nos deu a estrela,
ao levar a Belém  adoradores,
provando a todos que puderam vê-la,

que os humildes serão sempre os primeiros
– que antes dos reis… e que antes dos pastores,
aos Teus pés se ajoelharam os cordeiros! 

 SONHO DE UM PASSARINHO
Ary Franco (O Poeta Descalço)

Não mais havia gaiolas no mundo.
Voaria em liberdade para onde quisesse,
Desde o rincão mais profundo
Até pertinho das nuvens, o mais alto que pudesse
 
Lá de cima só veria paz na humanidade.
Todos os povos unidos e irmanados.
Nenhuma guerra, somente amizade.
Antigos inimigos, agora abraçados.
 
No lugar das armas, muitas flores.
Onde havia presídios, parques iluminados.
Ao invés de ódios, somente amores.
Doenças nem pensar, todos os males curados.
 
 Bem acima dele, Deus olhava embevecido.
Ver Suas obras totalmente concluídas,
Ter Seus filhos finalmente entendido
Como devem ser vividas suas vidas.
 
Muita paz nos corações, uma só religião.
Amando ao próximo como a si mesmo.
Fazendo de seus cânticos uma oração.
Firmes em suas convicções, nada feito a esmo.
 
Paz na terra aos Homens de boa vontade.
Amando a Deus Nosso Sagrado Criador.
Jamais faltar com a verdade e
Tratando a todos com enlevado amor!

Feliz Natal 
Gislaine Canales
 
As vozes dizem: Hosana! 
É Natal. Só paz e amor! 
O universo se engalana 
num parto de luz e cor!
 
Papai Noel, com carinho, 
eu te peço, por favor: 
põe em cada sapatinho 
uma gotinha de amor!
 
Neste Natal eu queria 
que o mundo fosse melhor, 
que presenteasse alegria 
e desse abrigo ao menor!
 

 Natal Jesus
Eugénio de Sa

Com pinhas e com nozes decorado
Descreve-se um Natal cheio de amor
Porque nos corações há mais o calor
Correndo o mel nos corpos saciados.

Mas o Natal é muito mais que festa;
Nele invocamos o dia em que nasceu
O que por nós viveu e padeceu
Os desígnios do Pai na Sua gesta.

Cristo menino em branduras deitado
Quem se esqueceu de ti, meu pequenino?
Berço de pobre, em mirras derramado.

Quem te aviltou o gesto, Bom Jesus 
Só busca o acessório e não o cerne
Da mensagem d’amor da tua luz!

 
 NATAL  SEM  JESUS
Thalma Tavares

Bem se vê que o Natal ficou mais rico
e perdeu sua antiga singeleza.
Pai Noel é quem manda na festança,
quem seduz com brinquedos a criança
e Jesus não tem mais lugar à mesa.

A elite, aos requintes sempre presa, 
não percebe esta ausência de Jesus.
Já nem lembra que Ele é quem faz anos
e vai dando sequência aos seus enganos,
desprezando o clarão de sua Luz.

Mergulhados no fausto que os seduz,
confundindo ilusão com realidade,
mas parecem crianças sem noção,
sem saber que Noel é uma invenção
e que o Filho de Deus é uma Verdade.

MENSAGEM DE NATAL
Delcy Canalles

Jesus, que ao mundo, vieste,
numa  mensagem de Paz,
se salvar-nos, Tu, quiseste,
também  sonhaste demais!

Teu dia, tão esperado,
quando  a Virgem deu a luz,
hoje, é apenas, negociado,
frustrando os pobres, Jesus!

Não há mais o sapatinho,
na  janela pro presente,
morreu para o menininho,
a lenda de antigamente !

Afasta da Terra, a fome
e  devolve,  à  criança,
que muitas vezes, não come,
a  alegria e a esperança!

Ó Jesus, aqui, relembro
teu gesto,  descomunal !
Expulsa os  Rufiões do Templo!
Devolve, à Pátria, o Natal !

 

AH, QUE BOM SE ACONTECESSE…
Nei Garcez

Que saudade do menino,
e da casa de meus pais,
da família, pequenino…
Eram lindos meus natais!

A família se reunia
toda em festa, e afeição,
tendo o amor em sintonia
e o afeto como união.

Que saudade, que alegria,
daqueles tempos de outrora,
dos Natais em que eu vivia,
refletindo em mim agora…

Era tanta, a liturgia,
tudo era uma emoção,
era um mundo de magia,
de ternura e exaltação.

Que saudade da criança
que viveu os meus Natais,
que inda vive, na lembrança…
Tempos que não voltam mais!

Hoje sinto a sociedade
se afastando da vigília
dos valores, da verdade,
formadores da Família!

Ah, que bom se acontecesse,
numa escala universal,
que este mundo se entendesse…
Todo dia era Natal! 

É  NATAL!
Marilene Azevedo
É o som
Estranho
Momento
Brincadeiras
Abraços
Afagos

É Natal!
Abraça
Perdoa
Passou
Vida nova
Natal chegou!

Prometo
Que irei
Cumprir
O que prometi

Serei  compreensivo
Amiga..Parceiro
Companheiro
Não te deixarei
Sozinha..

É natal!
Caso não acredite
Juro-te
Renovarei
Meu amor
Te dedicarei
Nesse Natal!

 

 

 

 

 

Deja un comentario