NARRATIVA A LUA DE OUTONO

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de propiedad intelectual de España
enero  2.020  nº 27
La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras

LUA DE OUTONO
Santa Catarina Fernandes da Silva Costa
08 de janeiro de 2020 Brasil

Quando meus olhos se debruçaram nos dois substantivos, um feminino e outro masculino, ligados pela preposição “de”, busquei primeiro a definição, coisa aprendida ao longo da vida.

Gênesis, Capítulo 1, versículo 16, assim nos ensina “ Fez Deus os dois grandes luzeiros; o maior para governar o dia, e o menor para governar a noite”. 

Aprendemos que a lua é o único satélite natural da Terra e o quinto maior do Sistema Solar.  Mas a lua é muito mais do que isso.  Como viveriam os poetas sem uma noite de luar? Sem um sonho para desembrulhar? Em todas as suas fases, ela  nos guia, calada e solitária na noite, seja ela quente ou fria, chuvosa ou simplesmente negra, carregada de nostalgia!

Quanto ao Outono, que vem casado com a lua, sabemos que tal palavra veio do latim “autumnus “ e significa amadurecer.

É a estação da colheita! Lembrei-me da  Festa dos Tabernáculos, ou  Festa das Cabanas, ou Tendas,  realizada no começo do outono seja em Israel ou onde existir uma comunidade Judaica.

Há um tempo determinado para todas as coisas: Tempo de plantar e tempo de colher.

Nessa fase de outono há mudança de temperaturas, ora é seca, ora chuvosa, ora fria, ora calorenta, é estação de ajustes, pois o inverno está chegando e nele há gelo e escuridão! Não há outra opção!

As paixões mundanas nos acolhem nos verões da vida, arrebatam almas, com vãs filosofias e prazeres desvairados.  Plantas daninhas são plantadas em árvores floridas!

Mas quando o outono chegar, o vento forte impiedoso arranca as folhas e as leva ao léu, deixando a árvore despida e ferida.

O coração chora, e agora? Riquezas e bens materiais não aquecem a alma vazia! Necessito de amor e de calor, a árvore seca grita.  Mas ainda é outono.

Haverá ainda tempo de amadurecimento? Se o coração se esvaziar e ao Eterno se voltar, sim, haverá renascimento e não será atingido pelo inverno cinzento e gelado que se aproxima.

Assim como a lua precisa do sol para brilhar, nós precisamos de Deus para os nossos dias guiar. Somos luzes moventes na terra, apenas instrumentos usados para amar.

Que nossa vida seja guiada pelo Criador dos dois luzeiros com objetivo de um governar o dia e o outro a noite.

Enquanto isso a lua desfila no céu sozinha e serena, espelhando seus raios no nosso planeta.

Deja un comentario