A CONFIANÇA POEMAS

Todo lo publicado en  ARISTOS INTERNACIONAL está sujeto a la ley de Propiedad Intelectual de España  septiembre  de 2.021 nº 45

La Dirección no se responsabiliza de las opiniones expuestas por sus autores. 
Estos conservan el copyright de sus obras

AL SERVICIO DE LA PAZ Y LA CULTURA HISPANO LUSA

COLABORAN.-Maria Inês Aroeira Braga.- Rose Arouck.- Virginia Branco.-Eugenio de Sá.- Daniela de Sousa.-Alfredo dos Santos.- Santa Catarina Fernandes da Silva Costa.- Cema Raizer .- 

Confiança
Maria Inês Aroeira Braga

O mundo mudou tanto ultimamente…
Já não há mais a troca de segredos,
As pessoas se afastam e, somente,
Se escondem no refúgio dos seus medos…

Enxergam em cada rosto um inimigo,
Se fecham inteiramente para a vida…
Já não se lembram mais de um ombro amigo,
Nas faces, só expressões tão ressentidas…

Perderam a vontade de viver
Porque imaginam que podem sofrer,
Já que não vêem nenhuma esperança…

São robôs que circulam pelo mundo,
Figuras de olhar triste, profundo,
Por se esqueceram do que é Confiança…

Confiança
Rose Arouck

Se o afeto caloroso vier a ser negado,
na ordem da relação que se agiganta,
é a aderência do inóspito à falta de cuidado
ao oscilar a dúvida que em sopro nele se lança

O sentimento cultivado, brotando se expande
e na  garupa do seu ego uma  força viríl avança, 
esmagando a culpa e tudo que lhe comande…
deixando o ente tranquilo, quando existe confiança

Mas, já não se vê essa donzela esfaimada
rodopiando nos salões da vida incúria,
distribuindo a paz querida e almejada…

O Mundo, com sua imensa boca escancarada,
prefere-a engolir para que mate a sua fome
e assim vai obstruindo a substância que lhe consome.

A CONFIANÇA
Virgínia Branco

A confiança conquista-se nos actos;
– No amor, na  amizade,
de quem nos abraça,
de quem nos beija e enlaça.
Devemos evitara grosseria, a vulgaridade.
Quanta dor pode estar lactente
no peito de quem a defronta.
Quanto mais se adquire o conhecimento
menos estamos disponíveis para confiar.
Quanto mais se confia,
mais profunda será a mágoa,
se a nossa fonte  parar de jorrar
a mesma pureza da água..
É  como quem aceita a mortificação do cilício,
ou a ferida do gume da espada,
ficará com a alma estilhaçada.
Vestirá uma anágua de silêncio.
E mesmo depois da alma colada
em exposição na vitrina,
vê-se que ficará rachada,
embora conformada com a sua sina.

CONFIANÇA
Eugénio de Sá

…É credo que se dá a quem mais cremos
Que bastas vezes nem é apreciado
Mas outras é um bem, que partilhado
Nos traz a paz aos dias que vivemos.

Mas dentre aqueles em quem confiamos
Escondem-se algumas almas traiçoeiras
Que se enchem de ternuras e maneiras
Mas traem a confiança que lhes demos.

E então toda a certeza periclita
E todo o nosso ser por dentro grita
Perante o exposto logro em que caímos;

Torna-se breu o que antes era luz
E acreditar nos outros já não nos seduz
Foi-se a confiança tal a antevimos.

Confiança
Daniela de Sousa

Conquistada na amizade
Cimentada na honestidade
Aumentada pela bondade
Solidifica-se na verdade

Cresce na reciprocidade
Na lealdade dos pares
Na ajuda compartilhada
Na expectativa ajustada

Prova-se na dificuldade
No prazer de viver
Na esperança de paz
No sonho de crescer

Na confiança em Deus
Na cumplicidade dos seres
No dissipar das dúvidas
Na força do perdão

Cresce nos olhares
No silêncio das almas
Na ajuda desinteressada
Na alegria de viver

E acima de tudo
Na confiança em si mesmo
No amor-próprio e ao próximo
No alcance da sinceridade

CONFIANÇA
Alfredo dos Santos Mendes

Há muito que perdi a esperança,
No bom senso que o mundo volte a ter.
Só vejo a Terra aos poucos perecer,
Oferecendo a morte, como herança.

Apenas encontramos abastança,
Na fome, na tristeza, no sofrer.
Eu já sinto meu corpo fenecer…
Perdi no ser humano a confiança!

Confiança que antes nos foi dada!
Não teríamos vida subjugada,
Mas sim um poço fundo de abundança!

Porém, tudo ruiu à nossa volta!
Apenas conservamos a revolta,
Por termos dado ao mundo: CONFIANÇA!

Confiança
Sana Catarina Fernandes da Silva Costa

Debruço-me no papel
O que dizer da palavra chave da vida?
Querendo ser neutra,
não falar em política,
nem em pandemia.

Não querendo falar de Deus,
do Criador de todos os mundos!
Se os corpos celestes estão soltos,
dependurados no espaço
onde estão as amarraduras, os laços?
Onde estão firmes os meus passos?

Se não falar das mãos ternas,
da vovozinha que rezava,
com seu rosário,
nas noites caladas?
Ela, com lágrimas, nos dizia
da história de Jesus e da cruz. 

Se feríssemos os pés, as mãos,
uma dor qualquer, uma inflamação.
Vinha o choro, vinha o colo,
vinha a cura com uma oração.

Isso não é nada, vai passar.
Dizia o meu pai.
O abraço forte secava as lágrimas
No pescoço da segurança.

Sentia-me forte e poderosa,
inatingível, num mundo cor-de-rosa.
A mãe falava com o olhar,
Cuidado, não vai se magoar.

Era verdade!
Os machucados fazem parte da realidade
Assim os dias foram costurados na confiança.
Ela é abstrata, é exata.

Não se sente, mas está presente.
Mais do que isso:
Nossos pés estão calcados nela
como o respirar!

E no último suspiro, não está ausente.
Ela nos conduz ao mundo construído
em nossas mentes.

Alicerçadas na bondade, ou na maldade,
na imoralidade ou na fé inabalável
de um dia tocar o céu, sem um véu.

Confiança
Magna Aspásia Fontenelle

Os bem-ti-vis,
Cantam alegremente
Anunciando um novo dia,
Inebriados pelos
Os raios solares que surgem,
Esplendoroso por detrás do morro.

Os beija-flores,
Aparecem para se alimentarem,
De alpistes e água fresca na janela da cozinha.
A brisa fresca balança as folhas das árvores,

Num compasso único,
Nos mostrando
A exuberância da natureza.
Observo os pássaros,

Um canta e o outro se alimenta ,
Nessa ‘nuance’ harmoniosa
A essência da vida cumpre seu papel de união dos seres,
Tornando o local harmonioso e belo,

Numa dialética diversa e respeitosa.
Nesse conjunto dissímil,
Pássaros, alimentos, natureza,
Penso na vida.

Os Ipês florescem em determinada época do ano,
Com flores de cores variadas,
Embelezando as estradas, ruas,
Parques, fazendas, sítios, cidades.

Sem se importar, se agradará ou não,
Apenas, florescem.
É a vida desvendando seus mistérios,
Na confiança do recomeço.

Confiança é a base de tudo em nossa vida,
Nos relacionamentos familiares,
Amorosos, amizade, prestação de serviço, etc.
Sem confiança ficamos sem norte.

Confiança é como espelho,
Se quebrado podemos emendá-los,
Entretanto, deixará
Sua marca eternamente.

CONFIANÇA
Cema Raizer

Procuro minhas lembranças
Que marcam a vida!
Olho o céu
Linda noite de lua cheia
Guardo no pensamento
Lindos sonhos e desejos
São como estrelas…
Pontos iluminados
Dentro dos sonhos que ainda sonho
Num confiante pensar…
Que me impulsiona a ter
Mais esperança no amanhã…
Ver meu sonho realizado
Num mundo melhor!

CONFIAR
Cema Raizer

Se somos confiantes
Na simplicidade de sentir amor…
O encantamento será sólido
Viver é muito bom!
Sentiremos muita alegria…

É sempre nas pequenas coisas
Que teremos
Um bom começo…
Que irá muito além do que sabemos

Tornando pura essa vontade de viver
Tudo será muito especial!
Mais doce a vontade de ser feliz
Retirando excessos

Espalharemos sonhos bons
Numa aconchegante inspiração
Confiando em atitudes e princípios
De uma sonhada renovação!


CONFIANÇA E FASCINAÇÃO
Cema Raizer

Essas mãos tão confiantes
Teimam escrever…
Embaladas pela inspiração
Além de ter carinho e afeto

Confiam!
Sempre dedicadas a cuidar…
Mãos que treinam a poesia!
Em poemas de sonho, amor e paixão

Mãos que esperam…
Cheias de afeto
Querendo transmitir calor humano!
Guiadas pela sabedoria

Registram momentos e vidas!
Escrevem sonhos alados
Numa troca imperdível
Valorizando o amor e a Poesia…

Deja un comentario